Sua mensagem foi enviada com sucesso!
Caça desordenada de tubarões preocupa ambientalistas

Blog

Caça desordenada de tubarões preocupa ambientalistas

Casos e Contos 11/05/2011
Compartilhar

A caça desordenada de tubarões tem preocupado ambientalistas de todo o mundo. Segundo dados da Organização das Nações Unidas (ONU), 100 milhões de tubarões são capturados e mortos anualmente no planeta. Desses, cerca de 70%, são mortos só pra virar sopa de barbatana. Atualmente, cerca de 120 nações estão envolvidas nas atividades pesqueiras do tubarão, incluindo o Brasil.

O consumo dos tubarões (ou cações), ou parte deles como as nadadeiras (ou barbatanas) e a cartilagem, representa uma ameaça que tem levado muitas espécies à extinção.

De acordo com o relatório da Pesquisa Nacional de Comportamento e Percepção do Consumidor de Cação realizado pelo Instituto Aqualung, em 2009, das 88 espécies de tubarões identificadas no litoral brasileiro, 38 estão nas listas de espécies ameaçadas de extinção. Ou seja, há dois anos 43% das espécies já estavam ameaçadas.

Outra preocupação é com relação à capacidade de reprodução desses animais. Enquanto algumas espécies de peixes conseguem reproduzir-se rapidamente, renovando e recuperando seus estoques naturais, boa parte das espécies de tubarões leva de 10 a 15 anos para atingir sua maturidade sexual, reproduz-se uma vez a cada dois anos e costuma ter longos períodos de gestação, sem contar a taxa de mortalidade de filhotes que pode ultrapassar 50%. Desta forma, as populações de tubarões têm uma taxa anual de reposição muito baixa, de apenas 3 a 4%, não sendo suficiente para recuperar as perdas sofridas pela pesca excessiva.

Dados divulgados pela União Internacional de Preservação da Natureza mostram que as reduções mais severas nas populações de tubarões ocorrem nos trópicos, onde a atividade de pesca é mais intensa.

Equilíbrio dos oceanos

Os tubarões exercem duas funções primordiais na manutenção do equilíbrio da vida nos oceanos. Além de predadores, responsáveis pelo controle populacional de suas presas habituais e importante papel na seleção natural ao predar os mais lentos e mais fracos, os tubarões se alimentam dos restos mortais de animais marinhos, evitando alguns problemas como o aquecimento global e a acidificação das águas. A extinção plena desses animais causará, certamente, um desequilíbrio de todo o ecossistema marinho.

Dica

Para saber ainda mais sobre a caça excessiva de tubarões no mundo, a dica é assistir o documentário Shiver (2010), que denuncia a caça ilegal de tubarões em Moçambique. A remoção das barbatanas é uma prática local, o que acaba com as chances de o animal sobreviver. Elas são usadas pelos restaurantes da região para fazer sopa. O filme é apresentado pelo instrutor de mergulho Carlos Macuacua (Prévia do documentário no video anexo à matéria).

Instituto Aqualung

O Instituto Ecológico Aqualung foi criado em 1994, como entidade sem fins lucrativos, com o objetivo de atuar na área de preservação e educação ambiental. Hoje é uma das maiores e mais atuantes entidades preservacionistas brasileiras, divulgando a informação e o conhecimento sobre as causas ecológicas e criando publicações sobre o meio ambiente e a fauna marinha, além de ser responsável por campanhas de conscientização da importância de se preservar o meio ambiente.

Mais informações no site www.institutoaqualung.com.br

Bruna Sales para Bombarco
Foto: Alex Hofford / Sinopix