Sua mensagem foi enviada com sucesso!
Peixes em extinção: o problema vem aumentando a cada dia

Blog

Peixes em extinção: o problema vem aumentando a cada dia

Casos e Contos 02/03/2011
Compartilhar

Não é de hoje que ouvimos notícias sobre a extinção de muitas espécies de peixes nos oceanos de todo o mundo. O problema, apesar de não ser visível no cotidiano, vem aumentando a cada dia e pode tomar proporções irreversíveis.

As donas de casas quando vão ao supermercado já sentem os resultados da ação desordenada do homem nos mares. O aumento dos preços dos peixes como o atum, é bem significativo. Sem contar que o tamanho do produto vem diminuindo.

E quem opta pelo atum enlatado, vale ressaltar que ali, dentro da latinha, não se encontra atum faz algum tempo. O que se vende com o nome de atum são as espécies bonito e albacora, da família do atum.

Quais os reais motivos dessa mudança?  Segundo o relatório do Programa Ambiental da ONU, feito com base em 18 regiões do planeta, em outubro do ano passado, a poluição, a pesca predatória e as mudanças climáticas levarão a extinção de muitas espécies de peixes. Os dados mostram a baixa de fertilidade dos oceanos, que até 2050 deverá abrigar espécies de peixes cada vez menores. Com isso, a pesca estará baseada na cadeia alimentar, ou seja, o pescador pegará o pequeno peixe que deveria servir de alimento para outras espécies.

O bacalhau é um exemplo. De acordo com a reportagem publicada recentemente pela revista Época, por séculos, a espécie foi um esteio alimentar, a principal fonte de proteína animal das classes mais pobres de Portugal e da Escandinávia. Era abundante, encontrado em grande quantidade nas águas frias da Groenlândia à Irlanda. Até os anos 1980 o bacalhau era barato. Seu preço só subia na Semana Santa. Hoje, o preço do bacalhau é salgado o ano inteiro.

Ainda de acordo com a Época, desde 2004, quando se atingiu o recorde de 84 milhões de toneladas de peixes extraídas dos mares, a produção cai ano a ano. Em 2009, apesar do aumento na frota pesqueira, o volume pescado ficou em 79,9 milhões de toneladas, segundo o relatório da Food and Agriculture Organization (FAO). Enquanto isso, o consumo de peixe só cresce. Em 2004, a humanidade devorou 104 milhões de toneladas. Em 2009, foram 118 toneladas, e a tendência do consumo é continuar crescendo.

Vale lembrar que o maior produtor e consumidor de espécies de peixes no mundo é a China. Sua frota retira um quinto do peixe saído dos mares. Cada chinês come 60 quilos de peixe por ano – três vezes mais que a média mundial, de 17 quilos.

Bruna Sales para o Bombarco
Foto: Bombarci