Sua mensagem foi enviada com sucesso!
Rede do Ibama, Remase, luta pela vida marinha do litoral de São Paulo

Blog

Rede do Ibama, Remase, luta pela vida marinha do litoral de São Paulo

Casos e Contos 12/08/2010
Compartilhar

Todos os dias a Rede de Encalhe de Mamíferos Aquáticos (Remase) captura dezenas de animais marinhos entre tartarugas, pingüins e golfinhos nas praias do Litoral Sul e da Baixada Santista de São Paulo. A Rede, que ajuda os animais marinhos a sobreviverem, tem colaboração de diversas instituições como: Corpo de Bombeiros, Ibama, Polícia Ambiental e ONGs, como o Gremar – Grupo de Resgate e Reabilitação de Animais Marinhos.

Segundo Delfo Monsalvo, inspetor do agrupamento de Guarda Costeira da Baixada Santista, todos os animais marinhos encontrados nas praias ou perto delas são encaminhados para o Centro de Reabilitação de Animais Marinhos – Reviva, que fica na Ilha dos Arvoredos, no Guarujá, litoral sul de São Paulo: “Ao encontrar os animais marinhos, a Guarda Costeira é acionada para o resgate. Após a captura são enviados para o centro no Guarujá. Todos os dias são encontradas diversas espécies marinhas. Muitas já sem vida”, ressalta o inspetor.

Ainda segundo Monsalvo o motivo da vinda desses animais marinhos até as praias seria a falta de alimentos nos oceanos: “A escassez de alimentos nos oceanos traz esses animais, por meio das correntes marítimas, até as praias à procura de alimentos. Muitos chegam aqui já em estado de putrefação. Mas, o homem é ainda o maior causador da degradação ambiental”, explica.

Recuperação

Após o encaminhamento dos animais para Centro de Reabilitação de Animais Marinhos – Reviva, no Guarujá, vários procedimentos para a sobrevivência das espécies são tomadas. Lá, eles recebem os cuidados de profissionais da área como biólogos e veterinários marinhos.

A veterinária da Reviva, Andréa Maranho, é uma das profissionais responsáveis pela recuperação desses animais. Segundo ela todos os animais marinhos “doentes” são avaliados clinicamente e recebem tratamento especifico para cada caso diagnosticado além de procedimentos profiláticos: “Só este ano, já atendemos 150 animais, porém somente 34 puderam ser encaminhados para a soltura”, explica.

Mas a recuperação dos animais feridos ou pouco reativos encontrados nas praias leva um tempo: “Em média, a reabilitação de aves e mamíferos gira em torno de 30 a 40 dias e de quelônios marinhos (tartarugas) de 3 a 9 meses”, revela Maranho.

Gremar

O Gremar - Grupo de Resgate e Reabilitação de Animais Marinhos em parceria com o IBAMA - Instituto Brasileiro do Meio Ambiente, realiza frequentemente diversos cursos de capacitação para resgate de animais marinhos, no qual, aproximadamente, 680 pessoas, entre bombeiros, guardas, policiais e funcionários públicos já participaram.
Para mais informações acesse o site da ONG: www.gremar.org

Para doações:

Banco do Brasil
agencia 3554-8/ conta 31.414-5
CNPJ 06.877.819/0001-18

Se encontrar um animal marinho na praia acione o Centro de Reabilitação de Animais Marinhos – Reviva. Telefones: (13)7807- 0948, ID 55*82*12389 e (13) 7807- 0427, ID 55*82*12002


Bruna Sales para Bombarco
Foto: Andréa Maranho/Gremar