Sua mensagem foi enviada com sucesso!
Campeonato Paulista de Vela Oceânica passou por mudanças para voltar a encher as raias da competição

Blog

Campeonato Paulista de Vela Oceânica passou por mudanças para voltar a encher as raias da competição

Esporte náutico e Lazer a Bordo 31/05/2012
Compartilhar

Antigamente participar do Campeonato Paulista de Vela Oceânica era um desafio. Não pela competição em si, que reúne uma das maiores flotilhas do estado de São Paulo, mas pela dificuldade de conseguir participar das quatro etapas do torneio, realizadas sempre em dois finais de semana em locais diferentes do litoral paulista.

Antes o campeonato era realizado em quatro etapas distribuídas entre as cidades de Ilhabela, Ubatuba e Santos. Esse estilo de competição demandava um deslocamento grande dos veleiros e das tripulações, além dos gastos, o que acabou esvaziando o campeonato”, conta Walter Becker, Presidente Nacional da classe RGS-BRA.

Foi para solucionar o problema e voltar a atrair competidores para o Paulista, que em 2009, Walter propôs que a competição fosse realizado em uma única etapa, unindo todos os competidores em uma só classe, a BRA-RGS, além dos competidores da ORC Internacional.

Desde a mudança, o Campeonato já foi realizado em Ubatuba, no ano de 2009, Santos, em 2010, Ilhabela, em 2011, e novamente em Ubatuba, este ano. “A ideia era fazer um campeonato rotativo que conservasse parte da tradição que o evento já tinha e que fosse realizado nas principais localidades de vela oceânica do estado de São Paulo”, conta Walter.

E a mudança parece ter agradado os velejadores. Prova disso é a última edição do Campeonato, que foi realizada no Ubatuba Iate Clube junto com o Ubatuba Sailing Festival 2012, entre os dias 28 e 30 de abril. Os dois eventos realizados simultaneamente reuniram 25 barcos e aproximadamente 150 velejadores nas águas do Saco da Ribeira. “Na classe RGS, a flotilha vem aumentando ano a ano. O mais importante, no entanto, é que o nível técnico também vem crescendo muito entre as tripulações o que torna as competições cada vez mais difíceis, técnicas e emocionantes” comenta Walter, que completa, “Campeonatos como esses pedem muito preparo das tripulações e bons equipamentos”.

Campeões

Este ano, o título de Campeão Paulista da BRA-RGS acabou ficando com o “dono da casa”, o veleiro Nomad, de Mauro Dottori, o que reforça a teoria de Walter que os barcos anfitriões das localidades-sedes sempre acabam vencendo a competição. “Isso comprova a tese que ter um bom preparo e conhecer a raia é fundamental para uma boa colocação”, avalia o presidente. Antes do Nomad, também defenderam o título para as suas cidades o Kanibal, veleiro de Ubatuba que venceu em 2009; o Mandinga, representante de Santos que foi campeão em 2010 e o Fram que fez o troféu ficar em Ilhabela quando o campeonato aconteceu por lá.

Se essa “teoria” realmente estiver certa, no próximo ano o troféu deve ficar na cidade de Santos, onde provavelmente será realizada a próxima etapa do Campeonato. “Ainda não temos uma data e um local para disputa em 2013. Seguindo a proposta de alternância entre as localidades, a cidade-sede seria Santos. Mas isto depende do planejamento entre a classe e o próximo clube disposto a receber o Campeonato”, adianta Walter.

O Campeonato Paulista segue a orientação da Federação de Vela do Estado de São Paulo (FEVESP), entidade oficial que valida a competição. A organização e a formatação do campeonato ficam por conta das classes participantes junto com o clube que irá sediar o evento. “Basicamente são os iates clubes que ditam as diretrizes do Campeonato Paulista de Vela Oceânica”, encerra Walter.

Para conferir tudo o que aconteceu no Campeonato Paulista deste ano, acesse o nosso álbum de fotos e a nossa galeria de vídeos onde estão registrados os melhores momentos da competição.

Veja fotos do Ubatuba Sailing Festival 2012 (Última edição do Campeonato Paulista):

 

Juliana Barbosa para Bombarco
Foto e vídeo: Bombarco