Sua mensagem foi enviada com sucesso!
Conheça as manobras e os equipamentos para a prática do wakeboard

Blog

Conheça as manobras e os equipamentos para a prática do wakeboard

Esporte náutico e Lazer a Bordo 23/02/2011
Compartilhar

Mais do que coragem, para se aventurar em alto mar em cima de uma prancha puxada por um barco em alta velocidade, o wakeboard exige consciência dos riscos das manobras e conhecimento técnico dos equipamentos necessários para praticar o esporte.

Por isso, o Bombarco, sempre atento aos esportes náuticos, preparou um guia de todos os equipamentos necessários para a prática do wakeboard além de apresentar as manobras mais conhecidas.

Os principais equipamentos para se aventurar em alto mar são: a prancha, específica para o wake, a bota, a luva, o colete salva-vidas e uma lancha que conduz o wakeboarder (praticante do esporte).

Sobre a prancha de wakeboard: assim como na maioria dos esportes, a prancha para a prática de wake deve estar de acordo com o tamanho e o peso do esportista.

Sobre o barco: o mais indicado são as lanchas que mantêm a velocidade e um trajeto em linha reta perfeita. Para se ter uma boa marola, o barco deve estar pesado, quanto mais peso melhor.

Sobre o mastro: também conhecido como Skylon, o mastro deve ter entre 1,8 e 2,2 metros de altura. Ele faz com que o wakeboarder seja puxado para frente e não para baixo (quando o cabo é amarrado em baixo). Isto propicia ao praticante mais tempo no ar para a execução das manobras. Barcos com motor de rabeta podem ajustar a inclinação mudando a marola.

Sobre o cabo: é o equipamento que liga o barco e a prancha. A distância mínima permitida é de 15 metros. Depois de alguma experiência adquirida o wakeboarder pode optar pela distância de até 19 metros. Quanto mais longo o cabo, maior o tempo de permanência do atleta no ar, possibilitando realização de manobras mais radicais e velozes.

O cabo não pode ser elástico, quanto mais rígido melhor. Os cabos elásticos fazem com que o atleta perca o equilíbrio quando está no ar. Os mais rígidos no mercado são de spectra. Existem também os quase totalmente rígidos, que são os Tac-Line, com aproximadamente 5% de elasticidade, o que evita contusões de tração do cabo.

 

As manobras

Depois de conhecer todos os equipamentos necessários para a prática de wakeboard, que tal aprender sobre algumas manobras? Conheça as principais manobras:

Backscratcher: saltar e dobrar os joelhos fazendo com que a prancha atinja um ângulo de, no mínimo, 90 graus em relação à superfície da água;

Body Slide: soltar a mão da frente e encostar as costas e o braço na água (manter a posição por, no mínimo, um segundo);

Boneless: saltar e colocar a prancha para frente com as pernas esticadas;

Butt Slide: saltar e tirar o pé de trás da sapata, esticando em seguida a perna de trás;

Fin Release: soltar a quilha (situada embaixo da prancha e que proporciona estabilidade. Sem ela a prancha fica mais solta e com pousos mais macios – a quilha é um equipamento removível);

FS/BS Twist: saltar e rodar a prancha em 90 graus;

HS Suicide: soltar o manete (equipamento encontrado na ponta do cabo, onde o wakeboarder segura) no ar e depois pegá-lo de volta;

HS/TS Air: salto simples (tirar a prancha da água poucos centímetros)

Layback: com as duas mãos no manete encostar as costas na água;

Nose Bone: saltar e esticar a perna da frente;

Side Slide: deslizar a prancha de lado na água;

Tabletop: saltar e dobrar os dois joelhos fazendo com que a prancha fique paralela à superfície da água (tolerância de 10 graus);

Tail Bone: saltar e esticar a perna de trás;

Touch Water: tocar a água durante uma curva;

Todas as informações foram enviadas pela Associação Brasileira de Wakeboard (www.abw.com.br), por meio da assessoria de imprensa.

 

A Prancha

As pranchas Grafite 138 e 141 são os últimos lançamentos da Navis, empresa catarinense há 15 anos no mercado. Com o novo material LubSlide, utilizado na base da prancha, o esportista consegue deslizar em obstáculos, rampas e sliders com muito mais facilidade.

Além disso o shape está com o novo sistema Power Flex que deixa o equipamento mais flexível que os modelos anteriores, suavizando a trepidação que ocorre em águas mexidas, além de proporcionar um pop mais explosivo e um wake-to-wake também melhor.

Ficha técnica
Tamanho: 138 cm x 42,7 cm
Tipo: twin simétrico com três estágios, progressivo e flexível
Rocker: 6,4 cm
Quilhas: 4 quilhas removíveis
Recomendado para pessoas de 60 a 95 kg
Mais informações pelo site www.wakenavis.com.br


Bruna Sales  para Bombarco
Foto: Divulgação