Sua mensagem foi enviada com sucesso!
Conheça o Estado do Maranhão e as surpresas que ele reserva

Blog

Conheça o Estado do Maranhão e as surpresas que ele reserva

Esporte náutico e Lazer a Bordo 08/06/2011
Compartilhar

Não é de hoje que o Estado do Maranhão é uma das regiões que mais reserva surpresas aos visitantes. O Estado além de lindas praias e diversas atrações também guarda algumas curiosidades, como a variação de maré do litoral, que pode chegar a oito metros, ocupando até 400 metros de praia.

A variação das marés é um fenômeno da natureza ocasionado pela força da gravidade, principalmente da Lua em relação a Terra – a atração gravitacional da Lua faz com que a água dos oceanos avance sobre a Terra.

O ciclo completo de variação dura 12 horas:

“A maré varia entre baixa-mar e preamar no decorrer de 12 horas. Ou seja, de seis em seis horas temos água. Essa variação avança em média cerca de uma hora a cada dia. Se hoje a baixa-mar é às 8 horas, amanhã será às 9 horas e assim por diante. O fenômeno acontece todos os dias no litoral maranhense”, explica Cláudio Gaspar, morador da cidade e proprietário de embarcação.

A maior variação de marés do planeta acontece na Baía de Fundy, localizada na costa atlântica da América do Norte, entre as províncias canadenses de Nova Brunswick e Nova Escócia. Na região a variação pode chegar a 16 metros. Na Baía de Fundy a variação de marés já alcançou 21,6 metros, foi a maior diferença registrada em outubro de 1869 devido a um ciclone.

A grande maré maranhense é favorecida pela proximidade com a linha do Equador e pelo declive suave do litoral. No Maranhão as embarcações que saem para navegar ficam condicionadas ao horário de maré:

“É preciso saber qual o melhor horário para partir e para chegar em terra”, revela Gaspar.

A pesca

A pesca é umas das atividades mais movimentadas no litoral. São mais de 200 mil pescadores artesanais. Mas é preciso seguir algumas regras para obter bons resultados. Segundo Cláudio Gaspar os pescadores também fazem uso do regime de marés:

“Os pescadores esticam as redes na maré alta, pois o movimento das marés cria correntezas que os peixes têm de seguir, então as redes ficam em passagens caminho que os peixes precisam percorrer e ficam presos. Na maré baixa essas redes são desativadas", explica o contador. 

A paisagem

O litoral maranhense é o segundo maior do Brasil, com 640 quilômetros, ficando atrás apenas do Estado da Bahia que possui 932 quilômetros. É caracterizado por ser bastante recortado, com inúmeras baías, ilhas, pontas e foz de rios, o que proporciona a proliferação de manguezais, que se tornam um refúgio para as mais diversas espécies de aves, tanto residentes quanto migratórias.

Entre as aves residentes, destacam-se os guarás, que colorem a paisagem do Maranhão. As aves, de cor avermelhada (resultado de uma alimentação rica em crustáceos e carotenóides), são consideradas as mais belas aves brasileiras.

Confira a tábua de marés do Maranhão no site https://www.mar.mil.br/dhn/chm/tabuas/index.htm

Bruna Sales para Bombarco
Foto: Governo do Estado do Maranhão