Sua mensagem foi enviada com sucesso!
Cuidado com a pele exposta ao sol

Blog

Cuidado com a pele exposta ao sol

Esporte náutico e Lazer a Bordo 08/12/2009
Compartilhar

Hoje, ter uma atitude saudável com relação ao sol é sinal de inteligência. Com o aumento da informação e a conscientização da população, a idéia de que “pele bronzeada é sinônimo de beleza e saúde” tem ficado para trás. Além de ser o principal causador do envelhecimento cutâneo, a exposição inadequada ao sol pode trazer inúmeros prejuízos à pele.

Atualmente, o câncer de pele é o tipo mais frequente entre os brasileiros, e corresponde a mais de 25% de todos os tumores malignos registrados no País. De acordo com registros do Incra – Instituto Nacional do Câncer, 115 mil novos casos de câncer de pele não-melanoma foram reportados em 2008.

Pesquisas realizadas pela Sociedade Brasileira de Dermatologia mostram que se os cuidados com a pele forem adotados desde a infância, a possibilidade de desenvolvimento da doença é reduzida em até 85%. Desta forma, todos devem ficar atentos e se protegerem quando expostos ao sol.

Pessoas com pele, olhos e cabelos claros, com dificuldade de bronzear, que possuem muitas pintas e sardas e histórico na família de câncer de pele devem ter cuidado redobrado. Num País como o nosso, com muito sol e mar, proteger a pele dos efeitos nocivos do sol não é uma tarefa fácil. Principalmente agora, com a chegada do verão.

Mas, com a incorporação de hábitos saudáveis, é possível ter uma atitude mais adequada na exposição. Com o sol, também se torna válido o conselho, “usar, mas não abusar”. A proteção hoje traz benefícios para toda a vida.

Dicas
- Use chapéus, bonés, óculos de sol, camisetas ou “roupas de praias”;

- Use guarda-sol ou barracas de praia, coberturas de proteção e sombras em geral. As barracas de praia em algodão ou lona absorvem cerca de 50% da radiação ultravioleta (UV) e as de nylon podem permitir a passagem de 95% dos raios UV;

- Evite a exposição solar entre 10 e 16h (horário de verão). Fique atento também aos dias nublados, pois os raios UV atravessam as nuvens claras em aproximadamente 90%;

- Até meio metro de profundidade do mar, é medido ainda 40% dos raios da superfície. Os raios ultravioletas podem refletir em qualquer superfície como areia, água, concreto e também na superfície das embarcações;

- Para a exposição solar intencional, os filtros solares chamados “suncare”, devem ter amplo espectro de proteção contra raios ultravioleta A (UVA) e raios ultravioleta B (UVB) (PPD, sigla em inglês para persistent pigment darkening ou índice de pigmentação persistente, e FPS, fator de proteção solar), texturas consistentes, resistência a água e livres de ativos que podem provocar reações com o sol;

- Aplique o filtro em toda pele, pelo menos 20 a 30 minutos antes da exposição ao sol. Lembre-se também das orelhas, pescoço, pés, couro cabeludo (para os calvos) e áreas próximas às roupas de banho. Peça para alguém ajudar na aplicação de áreas de acesso mais difícil, como as costas, por exemplo. Recomenda-se reaplicar o filtro solar a cada duas horas e após suor intenso ou banhos de mar e piscina.

- O fator de proteção solar (FPS) muitas vezes gera dúvida. Padrão de medida para raios UVB é calculado com base na vermelhidão da pele, ou seja, é o tempo que a pessoa pode permanecer ao sol de modo mais seguro. De uma forma geral, para exposições solares recomenda-se o FPS 30, e é sugerido ainda o aumento dessa proteção em face. Atente-se também ao PPD, medida de proteção contra os raios UVA, que incidem durante todo o dia. A proteção contra raios UVA é importante por sua ação coadjuvante no desenvolvimento do câncer de pele, além de ser responsável pelo fotoenvelhecimento, formação de manchas e reações fotoalérgicas. O ideal é que o PPD corresponda a pelo menos um terço do FPS do produto;

- Protetor solar labial é altamente recomendável para evitar seu ressecamento e queimaduras locais. Além disso, previne ainda o câncer labial, também causado pelo sol;

- Crianças até seis meses de idade não devem utilizar filtro solar. A proteção do sol, no caso, deve ser feita com roupas leves e permanência à sombra;

- O sol resseca a pele. Assim, após a exposição, é recomendado o uso de hidratantes suaves em toda pele;

- A alimentação também merece atenção no verão. Prefira alimentos leves e frescos, como frutas, verduras e legumes. Além de ser fundamental manter a hidratação com água e sucos naturais.

Artigo escrito por Ana Carolina Antunes, médica formada pela Universidade de Mogi das Cruzes (UMC) e especialista em dermatologia pela Sociedade Brasileira de Dermatologia