Sua mensagem foi enviada com sucesso!
Esquiando pelas águas do Brasil: conheça a história do wakeboard no País

Blog

Esquiando pelas águas do Brasil: conheça a história do wakeboard no País

Esporte náutico e Lazer a Bordo 09/02/2011
Compartilhar

Sem neve o jeito é adaptar o esqui para o mar, rio ou lago. No Brasil o wakeboard floresceu profissionalmente em 1992, quando uma empresa promotora de esportes e organizadora de eventos da Flórida, nos Estados Unidos, começou a organizar eventos profissionais de wakeboard no País.

A Guarapiranga foi o berço do wakeboard no Brasil. A represa era o local de treino de grandes nomes do wake na época, entre eles os primeiros wakeboarders brasileiros: Roberto Pereira Leite, o Betinho e Luiz Felipe Pamio, o Pamio.

Em 1995 Pamio em parceria com a Associação Brasileira de Esqui Aquático (ABEA, hoje CBEA) introduziu dentro de um campeonato de Esqui Aquático a modalidade Wakeboard. Foi a primeira competição de Wake no Brasil realizada no Clube Náutico, em Araraquara.  Eram os primeiros passos para o reconhecimento do esporte no País.

Em maio de 1997, aconteceu o primeiro campeonato unicamente de wakeboard no Brasil. O evento teve como sede o Clube de Campo de São Paulo. A 1ª Copa Hi-Winds de Wakeboard foi um grande sucesso e demonstrou claramente que o esporte tinha futuro e uma grande base de praticantes no Brasil.

Os Estados brasileiros e o wakeboard

As grandes potências do wakeboard brasileiro eram o estado de São Paulo e do Rio Grande do Sul. São Paulo tinha um grande número de wakeboarders especializados em invertidos (quando a prancha fica acima do wakeboarder. Exemplo: mortais, raleys e cambalhotas) e o Rio Grande do Sul era focado principalmente no estilo formando o famoso jargão "South Style".

O wake ganhou espaço e também uma associação, a Associação Brasileira de Wakeboard (ABW), que foi e é, até hoje, responsável por organizar campeonatos de wake pelo País. O primeiro circuito nacional foi em 1998, e contou com seis etapas pelo Brasil.

O Rio de Janeiro também garantiu seu espaço na história do wakeboard. A Lagoa Rodrigo de Freitas foi palco do 1º Campeonato Latino Americano de Wakeboard.

A primeira delegação brasileira, composta por cinco wakeboarders, viajou em 1999, para o campeonato mundial nos Estados Unidos. Betinho sagrava-se campeão Mundial na categoria Masters e o Marcelo Giardi, o Marreco, vice-campeão na categoria Jr Mens, a mais concorrida depois da Profissional (ver matéria Navegar é preciso).

Em 2000, obstáculos como rampas e corrimãos começaram a ser implantados nos campeonatos, aumentando cada vez mais as opções para os wakeboarders demonstrarem suas habilidades. Neste momento a WWA (World Wakeboard Association) se tornava oficialmente a entidade mundial do wakeboard, tendo o Brasil como um dos membros fundadores.

Foi nessa época também que o estado de Manaus começou a aparecer no mapa do wakeboard nacional e rapidamente se tornou a segunda maior potência do esporte, devido às ótimas condições para a prática do esporte e ao elevado número de praticantes locais.

Os grandes campeões

Marcelo Giardi, o Marreco, foi um dos primeiros atletas a se consagrar após o reconhecimento do wakeboard no Brasil. Marreco mostrou sua superioridade no wakeboard nacional quando se tornou tricampeão brasileiro (1998, 1999 e 2000). Giardi já mostrava seu atrevimento nas manobras com alta técnica e estilo.

Dois anos depois, mais atletas dividiriam com Giardi o destaque na cena do wake. Rafael Kamogawa, o atleta que conquistou o primeiro campeonato latino-americano disputado no Brasil, na Lagoa Rodrigo de Freitas, na cidade maravilhosa e Marito Manzoli, vice-campeão mundial na categoria Adulto II, no Campeonato Mundial, realizado pela WWA, em Orlando, na Flórida. O evento reuniu cerca de 100 atletas de nove países diferentes, entre eles a lenda do esporte Darin Shapiro e outros grandes nomes do wakeboard mundial. A wakeboarder carioca Camila Fidalgo foi a única representante da equipe brasileira que subiu ao pódio: conquistou a 3ª colocação na categoria Junior Ladies.

De lá pra cá, o wakeboard continua na briga por um espaço no esporte brasileiro e ganha cada dia mais reconhecimento. A próxima competição será a primeira etapa do Circuito Paulista de Wakeboard, que acontece na represa do Broa, em Itirapina, interior de São Paulo, nos dias 9  e 10 de abril. Já o Mundial de Wakeboard acontece no mês de maio, ainda sem data definida, em Belo Horizonte, Minas Gerais.

Todas as informações foram enviadas pela Associação Brasileira de Wakeboard por meio da assessoria de imprensa.

Bruna Sales para o Bombarco
Foto: Divulgação