Sua mensagem foi enviada com sucesso!
Glossário dos velejadores

Blog

Glossário dos velejadores

Esporte náutico e Lazer a Bordo 29/10/2009
Compartilhar

Catracas, boreste, quilhas. Sabe qual é o significado destes termos? O mundo da vela também possui um vocabulário específico. O Bombarco selecionou alguns dos termos mais utilizados pelos velejadores. Conheça os significados:

1' (1 minuto): 1 milha latitude

1 milha náutica: 1.852 metros

1 nó: aproximadamente1.850 m/h

1 pé:  30,5 cm

1º (1 grau): 60 milhas

Adriças: Cabos para levantar velas.

Amador: Pessoa habilitada pela Marinha para operar embarcações de esporte/recreio, em caráter não profissional.

Amantilho: Cabo que segura a retranca.

Ancoradouro: Lugar próprio para as embarcações ancorarem com razoável segurança.

Ancoragem: Feita a cinco vezes na profundidade do comprimento do cabo da âncora.

Arqueação: Medida da capacidade dos espaços internos de uma embarcação, determinado em função do volume de todos os espaços fechados.

Arrais amador: Pessoa habilitada a conduzir embarcações dentro dos limites da navegação interior.

Arribar: Afastar da linha do vento.

Arinque: Nome do cabo que prende uma bóia na superfície d’água e no fundo de uma pequena âncora.

Atracar: Amarrar a embarcação num cais ou em outra embarcação.

Avisos aos navegantes: Boletins divulgados pela Diretoria de Hidrografia e Navegação (DHN), que informa as alterações ocorridas nas áreas marítimas, fluviais e lacustres do Brasil e de outros países sobre a segurança da navegação.

Barlavento e sotavento: Referente ao lado de onde e para onde sopra o vento, respectivamente.

Bigota: Espécie de moitão chato sem roldana e com furo, por onde passa um cabo.

Biruta: Indicador de vento, que fica no topo do mastro.

Bolina: Parte móvel para resistência lateral na orça.

Bombordo: Lado esquerdo da embarcação, considerando-se a proa como frente.

Bordos: Os dois lados de uma embarcação (bombordo e boreste).

Boreste: Lado direito da embarcação, considerando-se a proa como frente.

Bote salva-vidas: Equipamento de salvatagem inflado por dispositivo especial.

Buja: Vela de proa menor.

Cabos: Cordas a bordo.

Calado: Profundidade de água necessária para a flutuação de um barco. Distância da linha d'água até a parte inferior da quilha.

Capitão Amador: Pessoa habilitada para conduzir embarcações em portos nacionais e estrangeiros, sem limite de afastamento da costa.

Carta 12.000: Publicação expedida pela DNH da Marinha com instruções sobre o uso de cartas náuticas, símbolos e abreviaturas.

Carta Náutica: Representa graficamente a superfície plana de áreas oceânicas, mares, baías, rios, canais, lagos, lagoas ou qualquer massa de água navegável para servir de base à navegação.

Catraca: Dispositivo mecânico ou elétrico usado para aumentar a capacidade de puxar um cabo.

Comandante: Designação do tripulante que comanda a embarcação, responsável pela embarcação, tripulantes e demais pessoas a bordo.

Convés: Parte de cima da embarcação.

Costado: Parte externa do casco de um barco.

Cunho: Para amarrar cabos.

Defensas: Para proteger as bordas do barco quando atracado.

Desatracar: Desencostar e afastar a embarcação do cais ou de outra embarcação que esteja atracada.

Direção: É de onde a embarcação vem.

Distância na carta: Medida com o valor da latitude.

Escala Beaufort: Correlação entre a velocidade do vento e o estado do mar.

Escotas: Cabos para manusear velas.

Ferro: O mesmo que âncora.

Força 4 de vento: Ideal para velejar.

Força 6 de vento: Máximo de vento para velejar.

Fundeadouro: O mesmo que atracadouro.

Fundear: Lançar o ferro ou a âncora no fundo do mar para prender a embarcação.

Gaiuta: Proteção de lona ou madeira, colocada sobre uma escotilha, impedindo a passagem de água.

Genoa: Vela situada à proa. No mesmo local da genoa pode ser colocada a vela de estai, que só difere na dimensão menor.

Hélice: Estrutura metálica que serve para movimentar a embarcação por meio de seu próprio giro. Acoplado através de um eixo longitudinal a um motor impulsiona a embarcação para avante ou para ré.

Homem ao mar: Recolhe por sotavento.

Jibe: Manobra onde a embarcação vira sua proa através do vento, tal como a direção deste também muda de um lado do barco para o outro.

Lastro: Peso.

Latitude: Vertical 0-90 (N-S)

Longitude: Horizontal 0-180 (E-W)

Lua nova e cheia: Maior amplitude de maré, logo mais força na enchente e vazante.

Luz BB (Esq.): Vermelha.

Luz BE (Dir.): Verde.

Manilhas: Peças em formato de U.

Mão esquerda no leme: Tem preferência de manobra (quase sempre).

Maré: Muda a cada seis horas.

Mestre amador: Pessoa habilitada a conduzir embarcações entre portos nacionais e estrangeiros nos limites da embarcação costeira.

Moitão: Conjunto de roldanas que servem para guiar cabos numa direção desejada ou para compor conjuntos para a redução do esforço.

Mordedores: Para travar escotas – adriças.

Navegação costeira: Realizada entre portos nacionais e estrangeiros dentro do limite da visibilidade da costa, não excedendo a 20 milhas náuticas.

Navegação interior: Dividida em navegação interior 1 (realizada em águas abrigadas, como lagos, lagoas, baías, rios e canais, onde não tenham ondas com alturas significativas e que não apresentem dificuldades ao tráfego das embarcações) e navegação interior 2 (realizada em águas parcialmente abrigadas, onde possuam ondas com alturas significativas ou combinações de vento, correnteza, ou maré que dificultem o tráfego das embarcações).

Navegação oceânica: Também conhecida como navegação sem restrições (SR), realizada entre portos nacionais e estrangeiros fora dos limites de visibilidade da costa e sem outros limites estabelecidos.
Orçar: Navegar o mais próximo possível pela linha do vento.

Popa: Parte de trás de uma embarcação.

Proa: Parte da frente de uma embarcação.

Quilha: Peso sob a forma de uma barbatana, fixado na parte de baixo do casco do veleiro, que serve para impedir o abatimento lateral da embarcação e contribui para a sua estabilidade.

Regulagem das velas mestra e genoa: Solta e puxa até alisar acompanhando a direção da biruta.

Rizos: Olhal nas velas para diminuir área vélica.

Rumo: É a direção para onde a embarcação vai.

Rumos cruzados: Quando duas embarcações a propulsão mecânica navegam em rumos que se cruzam em situação que envolva risco de colisão.

Spinakker ou balão: Pequena vela de proa muito resistente, usada com ventos muito fortes.

Stoper: Para travar adriças.

Suspender: Ato de desatracar de um cais ou arrancar a âncora do fundo do mar para empreender nova viagem.

Tábua de marés: Publicação náutica anual da DNH que fornece todas as informações sobre as alturas da maré nas baixas-marés e preamares, bem como as horas que elas ocorrem.

Tendência a arribar: Com a buja.

Tendência a orçar: Com a vela mestra.

Thassia Ohphata

Fotos: Ilustrativas