Sua mensagem foi enviada com sucesso!
Reaproveitamento de vela: Criativos reciclam peças para criar novos objetos com inspiração náutica

Blog

Reaproveitamento de vela: Criativos reciclam peças para criar novos objetos com inspiração náutica

Esporte náutico e Lazer a Bordo 10/01/2013
Compartilhar

Velas usadas em competição tem uma vida curta. Com o uso, as peças vão perdendo a eficácia e dão menos propulsão aos veleiros e, por isso, logo são descartadas. Mas apesar de não serem mais apropriadas para serem usadas em regatas, as peças ainda são um material de excelente qualidade e deixá-las abandonadas seria um grande desperdício. Foi isso o que pensaram a designer Arraitz Koch e o fabricante de velas, mas arquiteto de formação, Borja Fuentes, dando origem ao Dvelas, uma iniciativa que transforma velas descartadas em móveis com design contemporâneo.

A ideia surgiu da designer como uma reação a grande quantidade de material desperdiçado pela indústria de vela. “Material que não é bom para navegar, mas que possui excelente durabilidade e resistência”, afirma o arquiteto Enrique Kahle, terceiro membro da equipe, que ainda conta com a também arquiteta Esperanza Kahle.

“As velas de um barco, com o uso, vão adquirindo deformações e deteriorações que as deixam menos eficazes. Geralmente essas velas são trocadas por outras novas. No entanto, na maioria dos casos o tecido das velas descartadas continua em excelente condições, além te ter um grande atrativo plástico graças a suas costuras, reforços, ilhós e suas marcas e números, mas especialmente, a pátina que adquirem com o tempo,” comenta Kahle sobre o potencial do material.

O grupo faz cadeiras, puffs e até cabines adaptáveis. Cada vela é desmanchada para produzir uma série limitada de produtos, que recebem uma etiqueta que traz informações sobre a procedência da vela: o porto de origem, o barco, o tipo de vela, o fabricante original e o numero de edição.

Além de matéria-prima, a vela também é inspiração para os designers na criação das novas peças. “O design reivindica a estética da vela e suas técnicas de cordame como inspiração, utilizando a técnica de velarias profissionais,” explica o arquiteto.

O grupo, que se define como apaixonado pela navegação e amantes do design, ainda não tem um representante no Brasil ou na Amétira Latina, mas quem se interessar pelas peças pode entrar em contato com eles por e-mail (dvelas@dvelas.com) ou visitando o site da empresa.

Bolsas de vela

E o pessoal do Dvelas não foram os únicos a dar nova vida à velas descartadas. Matteo Tacconi e Roy Stewart Halstead também aproveitaram o fácil acesso que tinham a velas usadas em competições como a America’s Cup e as usaram para criar a Maro Sailing Couture, com suas bolsas inovadoras, estilosas, a prova d’água e resistentes. A dupla se reuniu graças à paixão pela vela e o interesse pela conscientização ambiental.

As peças da MARO são feitas à mão e misturam as velas a materiais como couro italiano ou africano, seda indiana e algodão mediterrâneo. Atualmente são três coleções: Mediterrânea, Oriental e Esportiva, cada peça recebe o nome de uma praia do mundo. Por enquanto a marca trabalha apenas com bolsas, mas pretende lançar em breve capas para iPad e iPhone.

A sede da empresa, que começou os negócios em setembro de 2012, é na Nova Zelândia, mas a fábrica fica na Itália e é de lá que as peças são enviadas. Quem se interessar, pode visitar a loja virtual da MARO, e eles também aceitam pedidos de peças customizados, pelo e-mail info@marosailingcouture.com.

Marília Passos para Bombarco
Fotos: divulgação