Sua mensagem foi enviada com sucesso!
Stand Up Paddle: o novo esporte do verão

Blog

Stand Up Paddle: o novo esporte do verão

Esporte náutico e Lazer a Bordo 19/07/2011
Compartilhar

Tudo começou na década de 1930. Há 70 anos, a capital do País ainda era a cidade do Rio de Janeiro, a camisa da seleção brasileira de futebol ainda não tinha nenhuma estrela e o Rei Pelé nem era nascido. Era verão na cidade de Santos, litoral de São Paulo, quando dois jovens pioneiros do surfe brasileiro, Osmar Gonçalves e Jua Hafers, cansados dos intermináveis dias de flat do verão santista (flat é quando mar está sem ondas) e loucos para aproveitar ao máximo a sensação de liberdade e conexão com o oceano que o esporte lhes despertara, tiveram a ideia de usar remos em suas pranchas para manter o preparo físico e treinar o equilíbio. A partir de então criaram o marco zero do Stand Up Paddle (SUP) brasileiro e passaram a praticar um esporte que só seria “criado” alguns anos mais tarde, no Hawaii.

O Stand Up Paddle como é conhecido hoje começou no Hawaí, nos Estados Unidos, nos anos 40, com os professores de surfe de Waikiki, conhecidos como Beachboys. Eles remavam em pé sobre as enormes pranchas de madeira naval como forma de acompanhar com maior amplitude os seus alunos nas ondas e para fotografá-los. Durante esse período não se pensava em produzir pranchas e remos para uma atividade esportiva específica.

O boom do Stand Up Paddle só aconteceria no início dos anos 2000, quando um grupo de havaianos liderados por Laird Hamilton passou a produzir pranchas e remos específicos para o SUP usando materiais inovadores como o EPS (plástico mais rígido) e a fibra de carbono:

“Nessa época era comum ver pessoas utilizando os equipamentos nas praias havaianas, ora descendo ondas, ora fazendo travessias”, conta Marcelo Dias, professor de educação física e instrutor de Windsurf e Stand Up Paddle, na cidade de Ilhabela.

No Brasil, o SUP apareceu pelas mãos de Haroldo Ambrósio, Jorge Pacelli e, principalmente, Vitor Marçal – respeitado salva-vidas radicado em Oahu, no Hawaí, que, de férias no Brasil, a convite de Luís Gontier, o Pipo, foi provavelmente o primeiro brasileiro a remar em uma prancha feita para o SUP em águas brasileiras.

Desde então o esporte cresce a cada dia ganhando mais adeptos. O SUP já é praticado em diversos estados brasileiros, como: São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Porto Alegre, Florianópolis, Bahia e Rio Grande do Sul:

“O SUP no Brasil esta crescendo bem rápido e com participação de bons atletas. Surfistas, velejadores, triatletas e muitos outros estão se envolvendo cada vez mais”, comenta Andrea Moller, campeã do SUP Molokai Race, no Hawaí.

A atleta, que ainda não teve a oportunidade de competir em provas nacionais, pretende participar das competições brasileiras no ano que vem:

“No próximo ano eu gostaria de fazer uma clínica de SUP em Ilhabela, aonde a minha família reside e tem uma escola de SUP. Muitos brasileiros se destacam fora do Brasil. Seja para diversão, malhação ou competição a galera sempre participa. Eu tenho o maior orgulho disso”, finaliza Andrea Moller.


A prática

O Stand Up Paddle é praticado com um remo de carbono para remar e se deslocar por onde quiser em pé em uma prancha maior e com mais flutuação do que as de surfe. Ela também é leve o bastante para ter um bom desempenho na remada. Existem mais duas maneiras de remar: de joelhos e deitado. O SUP pode ser praticado nas ondas com as mesmas manobras do surfe e em lagos ou rios, competições de longa distância chamada de Race e revezamento.

“O SUP é recomendado para pessoas de todas as idades, proporcionando um excelente condicionamento físico, equilíbrio, bem-estar, qualidade de vida e integração com a natureza”, revela o professor Marcelo Dias.

Os equipamentos

“Os equipamentos de SUP são encontrados com especialistas da modalidade e lojas. A melhor forma de adquirir o equipamento correto é em uma base onde o esporte é praticado. Para quem mora perto do litoral Norte de São Paulo, indico a Marina Porto Ilhabela para testar e conversar com os especialistas para entender onde você vai remar, os objetivos de sua remada, tamanho das pranchas e altura dos remos são importantes para ter uma diversão garantida”, explica o instrutor.

Quer aprender?

Marcelo Dias é instrutor de Stand Up Paddle e ministra aulas na Marina Porto Ilhabela, na cidade de Ilhabela, que fica na Avenida Almirante Tamandaré, 304. Uma aula custa R$ 80,00. Telefone (12) 3896-1243. Para mais informações acesse o site www.ecotreino.com.br

Bruna Sales para Bombarco
Foto: divulgação