Sua mensagem foi enviada com sucesso!
André Homem de Mello - primeiro brasileiro a dar a volta ao mundo em solitário

Blog

André Homem de Mello - primeiro brasileiro a dar a volta ao mundo em solitário

Manutenção de Equipamentos 26/10/2011
Compartilhar

O campineiro André Magalhães Homem de Mello, 47, dedicou parte de sua vida em busca da realização de um sonho. O sonho de se tornar um velejador solitário e realizar feitos marcantes como a volta ao mundo.

O velejador passou mais de cinco anos em preparação para aquele que viria a ser seu grande feito, a viagem de volta ao mundo em solitário, realizada de setembro de 2001 a março de 2002. Velejou 158 dias e tornou-se o primeiro brasileiro a dar uma volta ao mundo solitário, sem escalas em um veleiro de apenas 35 pés (11 metros).

Percorreu 21 mil milhas náuticas (mais de 35 mil quilômetros) pela região mais perigosa para navegação do planeta. Passou pelo famoso Cabo da Boa Esperança – também conhecido por Cabo das Tormentas – pelo Cabo Leeuwin na Austrália, pelo sul da Nova Zelândia e pelo temido Cabo Horn no extremo sul da América do Sul.

Segundo André, o período de preparação e planejamento para uma viagem como essa deve ser levada muito a sério:

Durante meu período de preparação velejei o equivalente a mesma distância da volta ao mundo”, explica André.

De 1995 a 2001 fez cursos, estudou, passou mais de um ano morando em um barco, dentro de uma marina, em São Francisco, na Califórnia (USA). Velejou da Califórnia até Ilhabela, em uma viagem que durou um ano e cinco meses (de outubro de 1996 a março de 1998). Também participou da “Viagem Comemorativa Brasil 500 Anos”, de Lisboa ao Brasil, com uma frota de 36 barcos.

De acordo com o velejador, ele tinha uma curiosidade grande para saber o que enfrentaria em uma viagem de volta ao mundo. Enfrentou tempestades, ventos de 40 a 70 nós, em um barco que não estava adaptado para esse tipo de viagem. E, cada situação vivida foi difícil e especial.

O principal ensinamento dessa grande experiência é a dedicação aos preparativos, treinamentos e planejamento da viagem. Nenhum velejador deveria enfrentar o mar sem estar muito bem preparado.

 

Veja Também:


Vanessa Xavier para o Bombarco
Foto: Banco de dados