Sua mensagem foi enviada com sucesso!
As aventuras da família Easy Going a bordo de um veleiro Fast 345

Blog

As aventuras da família Easy Going a bordo de um veleiro Fast 345

Manutenção de Equipamentos 06/09/2011
Compartilhar

De Santa Catarina a Fernando de Noronha. Esse foi o percurso da última expedição realizada durante o ano passado pela Família Easy Going formada pelo comandante Joel Twardowski Raymundo, pela esposa, Maíra, e os dois filhos, Luis Antonio de 13, e o pequeno Marco Antonio, de três anos:

“Foi uma experiência incrível, que nos enche de saudades. Até hoje o Marquinho pergunta quando voltaremos para Noronha”, lembra Joel.
Mas não pense que a viagem foi totalmente tranquila. Joel afirma que passou por poucas e boas em alto mar:

“Tivemos muitos momentos inesquecíveis e outros arriscados. Ventos e ondas fortes logo no começo da viagem, quando passávamos em Porto Belo (SC) e muita satisfação em participar da Refeno”, comenta o comandante que também utilizou a Refeno: Regata Internacional Recife – Fernando de Noronha para chegar ao seu destino final, Fernando de Noronha.

Com muita calma você chega lá

“No dia da largada da Regata Internacional Recife – Fernando de Noronha (Refeno), a expectativa era grande, afinal eu e minha família tínhamos navegado muito até chegar ali. Montei minha tripulação com alguns amigos Miguel, Patrícia, Tina e Chicão, enquanto minha família embarcava para Noronha para me esperar em uma pousada reservada.

Inscrevemos o Easy Going na classe RGS E, que estava muito competitiva. Tínhamos de tudo dentro do barco para fazer peso. Só de âncora eram três.

A navegada foi difícil, pois os ventos estavam muito fortes e constantes, acima de 20 nós com rajadas de mais de 30 nós e ondas de três a quatro metros. Dizem que foi uma das piores Refeno em termos de condições climáticas.

Foram 48 horas de muito trabalho e muita água por todos os lados. Era impossível ficar seco. Muitos barcos quebraram e somente 96, dos 150 veleiros participantes, chegaram a Noronha. O mar estava tão agitado que alguns tripulantes, de outros barcos, passaram mal e tiveram que ser resgatados pela Marinha.

A noite foi muito apreensiva, com os diversos pedidos de auxilio pelo rádio e as informações de barcos quebrados. Foram embora lemes e até mastros, mas felizmente, no final, tudo acabou bem.

Chegamos a Noronha as quatro da tarde do dia seguinte e fomos presenteados logo com um horizonte indescritível. O nosso barco ficou com a quinta colocação na classe RGS E, em segundo lugar na classe Fast 345 e em 64º colocado na classificação geral.

Apesar das situações adversas enfrentadas, a calma e a experiência no mar nos ajudou muito a conquistar boas colocações. Sem contar que ser presenteado com uma paisagem como a de Noronha não tem como ficar desapontado”.

Mais aventuras da família Easy Going estão disponíveis no Blog http://veleiroeasygoing.blogspot.com

Bruna Sales para Bombarco
Foto: Divulgação