Sua mensagem foi enviada com sucesso!
Bruno Jacob: Adrenalina em alto mar a bordo de uma moto aquática

Blog

Bruno Jacob: Adrenalina em alto mar a bordo de uma moto aquática

Manutenção de Equipamentos 08/11/2010
Compartilhar

Bruno Jacob é um dos pilotos de jet ski mais conhecidos do cenário esportivo em todo o mundo. O baiano, de 23 anos, começou a carreira aos 15 anos e aos 16 já se tornou campeão brasileiro. Hoje com quase oito anos de carreira, o atleta guarda muitas histórias.

Entre vitórias e derrotas, Bruno já se deparou com situações difíceis, principalmente no mar, onde pelos menos três vezes por semana durante duas horas por dia passa o seu tempo realizando treinos para as competições que participa.

Ao comando de um Yamaha Super Jet, Jacob se destaca nas ondas. Ele lembra que em uma competição na praia de Supertubos, em Peniche, Portugal, passou por uma situação que o deixou preocupado:

“Foi durante o Mundial de Freeride Jet Ski 2007 European Tour. As ondas estavam em três metros e muito fortes e eu ainda não tinha muita experiência. Acabei levando um grande “vaca” (caldo). Pensei que não ia conseguir levantar para respirar”, relembra.

Mais a ocasião foi apenas uma de muitas que Bruno já enfrentou. Segundo ele os treinamentos, às vezes, também são bem radicais.

Adrenalina fora das competições

“Além dos obstáculos enfrentados nas competições, os treinos também guardam algumas surpresas radicais. E, posso dizer que já passei por muito sufoco. Mas sempre tem aquele mais traumático, não é? Para mim um dia de treinamento vai ficar para sempre guardado na memória.

Foi na praia Barra de Jacuípe, que fica na cidade de Camaçari, na Bahia. Meus treinos, geralmente, acontecem lá. E sempre vou acompanhado pelo meu irmão, que vai com o jet um pouco maior para resgate, caso ocorra alguma situação mais perigosa. Esse dia, fui sozinho. O local é uma barra violenta de ondas grandes e forte. Mas como eu estava acostumado a treinar por lá achei que não tivesse problema algum.

Surpresa! No meio do treino, meu jet apresentou problemas e eu fiquei realmente desesperado, pois a maré me jogava a todo tempo para o lado das pedras e não para a areia. Remei, remei contra a correnteza e o desespero e o medo me acompanhavam a todo instante. Foi uma luta constante para conseguir nadar carregando o jet e ainda por cima enfrentando as ondas. Cada momento eu achava que não ia conseguir e ficava ainda mais desesperado.

Por pouco não fui jogado nas pedras, o que certamente quebraria meu jet em pedaços e me ocasionaria ferimentos profundos. Só consegui sair do mar e chegar em terra firme depois de muita luta e extremamente exausto. Mas tudo isso me deixou uma lição. Hoje dou muito mais atenção aos pequenos detalhes. Estar acompanhado de alguém mesmo que você já conheça o lugar e ache que ali não encontrará problemas, o bom é ter alguém te observando”.

Dicas de um campeão

 

  • Sempre estar acompanhado por outra pessoa em treinos e dar ouvidos aos mais experientes sobre os locais de pilotagem;
  • Checar, e o mais importante, usar todos os equipamentos de segurança: colete, luvas, capacete, botas etc;
  • Ter a revisão de seu equipamento sempre em dia.


Bruna Sales para Bombarco
Foto: Bruno Jacob / Divulgação