Sua mensagem foi enviada com sucesso!
Gerente de vendas da Schaefer Yachts vê clara recuperação do mercado náutico

Blog

Gerente de vendas da Schaefer Yachts vê clara recuperação do mercado náutico

Manutenção de Equipamentos 22/08/2013
Compartilhar

Graças ao delicado momento que a economia mundial enfrenta, a queda nas vendas de barcos no Brasil durante os meses de maio e junho foi mais acentuada que os anos anteriores, revela o gerente de vendas e exportações da Schaefer Yachts, Guilherme Andrade.

O especialista se revela otimista com a melhora que o mercado náutico brasileiro já vem demonstrando desde o começo de julho. “Pelos números de pesquisas, pelas vendas que já fizemos, o mercado deu sinais claros de que está reaquecendo,” garante Andrade.

Um bom motivo para acreditar nisso é a Phantom 300, carro-chefe, ou melhor, barco-chefe do estaleiro, se manter no posto de maior sucesso da indústria náutica brasileira, se aproximando da unidade 1.400. “Dentro da pirâmide de poder aquisitivo, tem mais gente que consegue comprar a 30 [pés], então, se você falar em unidades vendidas, ela é o maior sucesso”, explica Guilherme. Mas o gerente destaca que, se olharmos para o faturamento, a Phantom 620 se destaca. “No período do ano passado, no Brasil, foram vendidos 18 barcos de 62 pés. Nós vendemos 12. Foi realmente um grande sucesso,” comemora.

E a Phantom 400, lançada no São Paulo Boat de 2012, não fica muito atrás. “Assim que lançou, vendeu a produção do ano inteiro,” conta e assume que o sucesso do modelo é quase um problema, pois, o prazo de entrega da lancha já está em 2014.

Um aumento da produção do modelo está nos planos do estaleiro, mas pelo fato da Phantom 400 ser recente, a linha de montagem ainda está tomando forma. “A 40 é nova, então estamos montando a linha, adaptando os fornecedores para um produto novo, diferente de uma 30, 36, que a gente produz há mais de 10 anos”, conta o gerente de vendas. “Leva uns meses até a linha ficar bem redondinha para ter essa flexibilidade de aumento ou redução no número de unidades produzidas. Mas, em breve, eu terei essa mesma flexibilidade. A perspectiva é que, fechando mais algumas unidades, a gente vai conseguir ampliar a produção da 40 pés,” completa.

Falando em crescer, a recém-lançada Schaefer 800, maior barco do estaleiro, apresentada no Rio Boat Show 2013, está dando sinais de se tornar um sucesso de vendas. Avaliado em torno de R$ 12 milhões, o superiate brasileiro já tem quatro modelos vendidos (dois entregues). “O mercado todo no mundo inteiro cresceu. O tamanho dos barcos cresceu muito. Eu me lembro, tinha 15 anos de idade e um barco de 32 pés, uma Carbrasmar 32 era um iate de milionário. Hoje em dia, é o barco de entrada. O Brasil gerou muita riqueza, então temos certeza que tem mercado para esse barco,” completa Andrade.

E mesmo com a presença de estaleiros estrangeiros que produzem e trazem para o Brasil embarcações de mesmo porte, a Schaefer está confiante de que seu barco faz frente às embarcações gringas. “Temos um produto de classe mundial. Eu já tenho clientes nos Estados Unidos que querem comprar uma 62, uma 80 [pés], só que meu preço vai chegar lá muito elevado,“ revela, comentando que não tem bom preço para exportar pelo fato do real estar muito valorizado. “O cliente não compra outro barco, ele está esperando que o dólar melhore para comprar o nosso. Então sabemos que temos um produto de classe mundial. Usamos os mesmo equipamentos, a mesma tecnologia de construção de todos os grandes estaleiros do mundo. Temos um design que agrada muito, layout interno privilegiado, navegação excelente. O que falta é a gente ter uma competitividade no câmbio”, completa Guilherme.

De olhos no mercado exterior

Mesmo com a nossa moeda valorizada, a Schaefer não fica de fora dos mercados estrangeiros. Recentemente, o estaleiro fechou um contrato com empresas que vão representar a Schaefer em alguns países do Leste asiático, como Coréia, Malásia, Filipinas, Indonésia, China e Japão.

“Durante uma feira na Coréia, onde expomos nossos produtos através de catálogos, eles foram muito bem aceitos. Então estamos abrindo uma frente para mostrar o produto lá,” afirma o gerente de vendas e exportações.

Marília Passos para Bombarco
Foto: Schaefer Yachts