Sua mensagem foi enviada com sucesso!
Mergulhador tem uma companheira de esporte bem incomum – uma cadela da raça labrador

Blog

Mergulhador tem uma companheira de esporte bem incomum – uma cadela da raça labrador

Manutenção de Equipamentos 15/02/2012
Compartilhar

Que o cachorro é o melhor amigo do homem ninguém duvida. Mas no caso do Cláudio, a sua cadela é tão companheira que o segue até debaixo d’água.

O engenheiro civil e ambiental, de 46 anos, mergulha aos finais de semana em Ilhabela, no litoral norte de São Paulo, e sempre que pode ele também leva para as suas “expedições”  a Leona, uma cadela de 5 anos de idade da raça Labrador, que está sempre ao seu lado em mergulhos e travessias que participam quando vão para o litoral.

Cláudio, que mergulha há 25 anos, conta que esse é o primeiro cachorro que o acompanha para o mar. Segundo o engenheiro, os cachorros da raça da Leona gostam muito de água “Eles foram criados no Canadá para pegarem os objetos que caíam dos barcos de pesca no mar”, explica.

Deve ser por esse motivo que a cadela, que “mergulha” há quatro anos e cinco meses, não precisou ser treinada para isso. “Não ensinei nada para ela, acho que ela tem o mesmo amor pelo mar do que eu, por isso me acompanha”, avalia o engenheiro.

Quando a dupla está no mar, Leona é a responsável por carregar a boia de sinalização e os peixes que Cláudio pega durante os mergulhos. A vantagem de ter uma companheira de quatro patas, segundo o engenheiro, é poder mergulhar com mais liberdade, sem ter que arrastar boias ou linhas. Além disso, “é muito bom ter alguém sempre a sua espera toda vez que retorna do fundo do mar”, conta.

Para garantir a segurança da companheira, Cláudio toma cuidado na hora de sair do mar quando ele está muito agitado. O dono da cadela também se preocupa em evitar colocar na bóia que ela carrega peixes que tenham ferrões, espinhos, esporas e dentes afiados para não machucá-la. Fora esses cuidados, Leona já chegou a passar até cinco horas dentro do mar acompanhando o seu dono.

O engenheiro conta que nunca viu outro cachorro que também mergulhe. “Acho que ela é a primeira”, avalia. Deve ser por isso que por onde passa as pessoas a encaram com surpresa, curiosidade e até admiração, segundo relata o engenheiro.

E não é a toa que a “mergulhadora” merece admiração. Com tantos anos de mar ao lado do seu dono, os dois já têm muitas histórias para contar. “A Leona já resgatou mergulhadores experientes da correnteza, rebocou botes e impressionou os participantes do campeonato paulista de caça submarina. Mas também tivemos alguns episódios tristes, como resgatar dois corpos da água, pois como o mar estava muito agitado os bombeiros não estavam conseguindo trazê-los até a praia”, conta o dono da labradora.

Para Cláudio, a razão que faz a cadela gostar tanto de mergulhar é simples. “A Leona me acompanha porque adora o mar. Quando ela sabe que vai comigo em algum mergulho ou travessia, a felicidade dela é imensurável”, conclui.

Juliana Barbosa para Bombarco
Foto: Bombarco