Sua mensagem foi enviada com sucesso!
Paulo Renha - fundador da Real Power Boats compete em provas de motonáutica desde 1977

Blog

Paulo Renha - fundador da Real Power Boats compete em provas de motonáutica desde 1977

Manutenção de Equipamentos 29/02/2012
Compartilhar

Coragem e determinação que passa dos esportes náuticos para o mundo dos negócios. Esse é o perfil de Paulo Sergio de Bittencourt Souza Renha, 59 anos, empresário, piloto, mergulhador, presidente da Acobar (Associação Brasileira dos Construtores de Barcos e seus Implementos) por 12 anos e fundador da Real Power Boats, estaleiro com sede no Rio de Janeiro fundado em 1986.

Amante de provas de velocidade dentro e fora d’água, Renha começou a competir em esportes náuticos aos 11 anos em uma modalidade, de certa forma, bem mais tranqüila. “Comecei a navegar em um barco a vela da classe Pinguim, no Iate Clube do Rio de Janeiro a convite de um amigo meu que também é conhecido na náutica, Antônio José de Melo Ferrer, o Tuzé”.

Da calmaria dos bons ventos o empresário partiu para a adrenalina da velocidade em 1977 quando começou a praticar provas de motonáutica, ou inshore. Em 1984 decidiu se dedicar exclusivamente a corrida de lanchas – modalidade que pratica até hoje. “Mesmo antes de estar no mercado náutico comecei a correr com lanchas Inshore. Amo velocidade e sei que sou de natureza competitiva”, revela.

O resultado da soma do amor pela velocidade com o espírito competitivo são os resultados obtidos ao longo da sua carreira de piloto. “Fui uma vez campeão carioca de motonáutica na época que comecei a praticar a modalidade, venci a última prova 3 horas de Guanabara e fui duas vezes campeão carioca na categoria SE.Também fui campeão brasileiro de Offshore e bati duas vezes o recorde mundial da travessia Santos - Rio de Janeiro, além de ser o atual bi campeão brasileiro de Stock Boat”, conta.

Entre tantas vitórias, Renha classifica a travessia Santos - Rio como algo marcante em sua vida. O piloto bateu duas vezes o recorde de tempo do percurso. Na primeira vez que concluiu o trajeto, em 2002, completou o desafio em 4 horas e 40 minutos superando o antigo recorde de 5 horas e 38 minutos estabelecido pelo piloto brasileiro Wallace Franz, em 1974. Em 2005, concluiu a travessia pela segunda vez no tempo de 3 horas e 28 minutos, superando o seu próprio recorde.

Para cumprir o desafio de percorrer as 244 milhas náuticas, correspondente a 407 quilômetros, partindo da Ilha da Moela em Santos, no litoral de São Paulo, com destino a Baía de Guanabara no Rio, o piloto se preparou por aproximadamente um ano. “Correr contra você mesmo é, no mínimo, angustiante. Você anda no limite o tempo todo e o estresse físico e do barco é extremo. Mesmo em boa forma física perdi 7.200 quilos em menos de cinco horas”, avalia ao falar sobre os desafios do trajeto entre as duas cidades.

Atualmente, o empresário participa de competições de motonáutica, onde compete na categoria Stock Boat Class One – categoria criada com o objetivo de trazer de volta ao Brasil a emoção das competições náuticas de velocidade, onde todos os barcos possuem as mesmas características (casco e motor), o que proporciona igualdade de condições para todos os pilotos. “Nesta categoria os barcos de ponta andam em torno de 72 nós”, comenta.

E o piloto adianta que tem planos de realizar outra travessia, mas ainda não revela os detalhes “Isso é surpresa”, conclui.

Juliana Barbosa para Bombarco
Foto: Stock Boat Class