Sua mensagem foi enviada com sucesso!
Simpósio de Segurança do Navegador Amador: Do guardanapo ao Dia de Mar

Blog

Simpósio de Segurança do Navegador Amador: Do guardanapo ao Dia de Mar

Manutenção de Equipamentos 18/02/2014
Compartilhar

Em 2000, em um happy hour, três importantes figuras do setor náutico brasileiro conversavam informalmente sobre as questões da segurança da navegação amadora. Do bate-papo, surgiu a ideia de promover um Simpósio para discutir a Norman 03, Norma de Autoridade Marítima que trata da navegação de lazer. E, no fim da noite, um guardanapo de papel com três assinaturas firmava o propósito de Carlos Brancante, experiente navegador com mais de 150 mil milhas náuticas do diário de bordo, Almirante Euclides Duncan Janot de Matos, então comandante do 8º Distrito Naval e recém-nomeado Diretor de Portos e Costas, e Marcelo Claro, à época diretor da extinta revista Offshore.

No mesmo ano, o I Simpósio de Segurança do Navegador Amador foi realizado na Escola Naval da Marinha do Brasil, no Rio de Janeiro. Fechado ao público, o evento reuniu representantes do mercado náutico das áreas de segurança e salvatagem, cursos para amadores e demais envolvidos com o tema. O objetivo era alterar a Norman 03.

“Com a criação do Simpósio, a NORMAM 03 passou a ter um canal de interlocução com a sociedade, com os prestadores de serviços no mercado náutico e com os usuários de embarcações tornando-se dinâmica, sempre atualizada e aberta a ouvir as sugestões que possam aperfeiçoá-la,” explica Brancante, responsável pela organização do Simpósio até hoje.

Pouco depois, o Alte. Janot enviou Carlos Brancante e o Almirante Bernando Gambôa, velejador e entusiasta da segurança, para um simpósio realizado pela Academia Naval Americana, em Anápolis, nos Estados Unidos. “De lá nasceu o Simpósio na versão atual,” revela Brancante.

Da segunda edição em diante o Simpósio de Segurança do Navegador Amador foi aberto ao público, com palestras e demonstrações de seguranças. E, após cinco edições, todas realizadas na Escola Naval, no Rio de Janeiro, o Simpósio começou a ser realizado em outras regiões do Brasil, como Santos, Salvador e Brasília.

“Em muitos casos, o Simpósio foi direcionado para determinado local pelo critério da necessidade de transmitir noções de segurança àquela determinada região, a exemplo de Brasília,” esclarece Brancante.

O VI Simpósio foi realizado em Santos e contou um treinamento prático embarcado, o Dia de Mar, considerado por Brancante a grande evolução do Simpósio nestes quase 14 anos de evento.

Os treinamentos práticos são feitos a bordo de embarcações da Marinha e do trawler Lord Gato, de Brancante. Os participantes, cerca de 150 a cada edição, treinam atracação e desatracação, navegação com visibilidade restrita, resgate de homem ao mar e abandono de embarcação.

Carlos Brancante considera que as grandes contribuições do Simpósio foram “a conscientização dos amadores e a integração entre a Marinha do Brasil e a sociedade civil, o que aumenta a segurança”.

“No decorrer desses anos, tornou-se o evento que mais transmite noções de segurança para os amadores. Pudemos contar com a presença de inúmeras personalidades do meio náutico que se propuseram, gratuitamente, considerando que o Simpósio não tem fins lucrativos, a proferir palestras enfocando a segurança,” completa o organizador do evento.

Em 2013, o Bombarco participou do XII Simpósio de Segurança do Navegador Amador. Confira aqui o relato da experiência completa!


Marília Passos para Bombarco
Fotos: Divulgação e Bombarco