Sua mensagem foi enviada com sucesso!
Barco de controle remoto é a nova invenção de catarinense

Blog

Barco de controle remoto é a nova invenção de catarinense

Mercado 06/07/2011
Compartilhar

Depois do sucesso dos barcos de papel gigantes construídos em 2004 para o Encontro Nacional de Engenharia de Produção, da Universidade Federal de Santa Catarina, o engenheiro Roberto Böell Vaz ganhou destaque, mais uma vez, no segmento náutico com uma nova invenção: o Projeto Roaz, embarcação de controle remoto gigante.

O Projeto Roaz é uma embarcação autônoma, usada para monitoramentos, coleta de dados ambientais, ecobatimetria e levantamentos de topografia subaquática, realizados de forma programada, destinado à pesquisa e demais serviços no ambiente aquático:

“Já temos um protótipo de campo com o qual estamos realizando testes e ganhamos, inclusive, um Prêmio Estadual da Fundação de Amparo a Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina (FAPESC), dentro da chamada pública do projeto Sinapse da Inovação”, revela Roberto Böell Vaz.

Atualmente, o engenheiro procura parceiros comerciais para continuar a desenvolver a embarcação, que poderá ser utilizada em diversas áreas como: monitoramento ambiental, vigilância marítima, logística marítima, defesa das águas territoriais brasileiras, etc.  

O barco de papel gigante

Roberto Böell Vaz tornou-se conhecido no segmento náutico e em todo o País, após a construção de barcos de papel gigantes. A invenção seguia os mesmo moldes de dobraduras de barquinhos de papel feitos com folha sulfite para a criançada.  O projeto criou oito barcos de papel gigantes que, inclusive, estiveram em eventos renomados do segmento, como:

Feira NauticaFair 2007, em Florianópolis; Rio Boat Show e Jogos Panamericanos, em 2007 no Rio de Janeiro.

Os barcos eram feitos de caixas de papelão, acomodavam até dois tripulantes e flutuavam na água em um tempo médio de 10 minutos:
“Após realizar a dobradura do barco (gigante) colocávamos ele na água, normalmente com dois tripulantes, um de cada lado para obter equilíbrio e depois a navegação começava até começar a afundar, o que, em média, demorava uns 10 minutos. Este era o sinal para voltar a terra firme”, lembra Vaz.

Sobre Roberto Böell Vaz

Roberto Böell Vaz tem 46 anos e reside na cidade de São Francisco do Sul, em Santa Catarina. Formou-se em Educação Física e Engenharia Civil, e atua como engenheiro. É pós- graduado em Fisiologia do Exercício e em Gestão Pública e técnico em Eletrotécnica.

De 2000 a 2004, foi responsável pela construção de uma embarcação feita de garrafas PET, com o qual navegou por toda a costa catarinense. Hoje, o barco está em exposição no Museu Nacional do Mar, em São Francisco do Sul, em Santa Catarina.

Mais informações sobre o Projeto Roaz e Barco de Papel nos sites www.roaz.com.br e www.barcodepapel.com.br

Bruna Sales para Bombarco
Foto: divulgação