Sua mensagem foi enviada com sucesso!
Belas paisagens ajudam a movimentar o mercado náutico no Nordeste do Brasil

Blog

Belas paisagens ajudam a movimentar o mercado náutico no Nordeste do Brasil

Mercado 31/05/2012
Compartilhar

Águas com temperaturas que variam entre 26 e 29 graus durante todo o ano, piscinas naturais e a oportunidade de conhecer de perto arrecifes que formam belos espetáculos naturais de cores e formas. Essas são algumas das características do litoral nordestino do Brasil, que aproveita o movimento de turistas ao longo do ano todo na região para desenvolver o mercado náutico nas áreas de lazer e esporte.

Formada pelos estados de Alagoas, Bahia, Ceará, Maranhão, Paraíba, Piauí, Pernambuco (incluindo o Distrito Estadual de Fernando de Noronha e o Arquipélago de São Pedro e São Paulo), Rio Grande do Norte e pelo Sergipe, a região nordeste conta com a maior costa entre todas as regiões brasileiras e oferece uma variedade de praias para todos os gostos, muitas delas inabitadas e com baixa frequência de banhistas, o que colabora para formar um cenário muito favorável para o desenvolvimento do mercado náutico naquela parte do país. “Sem contar o estado da Bahia, que tem um número bem representativo de marinas na região do Recôncavo Baiano, estimo que o Nordeste tenha algo em torno de cinco mil embarcações de lazer”, avalia Enilson Espínola Sales, empresário e CEO da Sales7 Divisão Náutica, grupo formado por quatro marinas e quatro lojas distribuídas pelo litoral nordestino.

Além das características citadas no início do texto, Enílson destaca outros pontos positivos que ajudam a desenvolver o setor na região. “Os passeios de jet são os preferidos nas lagoas dos estados do Rio Grande do Norte, Maranhão e Alagoas. E ainda tem Fernando de Noronha, destino preferido para os praticantes de vela, e o Recôncavo Baiano que oferece uma excelente navegação em águas abrigadas e ilhas de rara beleza natural”, completa.

E com tantos atrativos, não é a toa que o mercado das embarcações de lazer se destaca na região. “Esse é o nosso principal público por aqui. O Turismo, cada vez mais explorado, incentiva o mercado de embarcações de aluguel para passeios, o que proporciona o crescimento da renda na região e ajuda a expandir o mercado de compra e venda de embarcações particulares de lazer”, explica Enílson. Além dos passeios, alguns esportes náuticos, como a pesca embarcada e a submarina, o surf, o kitsurf, regatas em geral e o mergulho, também são bem populares na região.

 

Crescimento do mercado

Desde o final da década de 90 o mercado náutico vem crescendo com índices bem representativos no nordeste brasileiro. “Desde 2005 a região sofre um ‘boom’ de investimentos o que fortalece o setor a cada ano. O turismo nacional e internacional e a chegada de indústrias de grande porte em nossa região complementam o quadro de expansão do segmento”, avalia Enilson.

Segundo o empresário, o perfil do mercado naquela região diverge dos demais localizados mais ao norte do país. “Percebo que aqui existe uma predominância de barcos entre 19 e 30 pés. Falando em marcas, entre as ‘forasteiras’ as mais presentes por aqui são a Fibrafort, Ventura e a Real. Entre as empresas locais, temos a Phoenix, Ecomariner, Royal Marine e a Fibrasmar. Os grandes estaleiros nacionais e internacionais são representados aqui por concessionárias autorizadas”, comenta.

E, como em todas as partes do Brasil, as empresas do segmento também enfrentam alguns problemas característicos da região. “Um ponto negativo registrado por aqui são as importações paralelas de motos aquáticas e motores. Essas mercadorias são trazidas de Miami e do Caribe e oferecidas para os consumidores sem garantia e sem pós venda. O cliente adquire o produto mais barato e depois acaba pagando um alto preço pela falta de assistência técnica”, conclui.


Juliana Barbosa para Bombarco
Foto: Rita Barreto - Setur