Sua mensagem foi enviada com sucesso!
Marinas sustentáveis

Blog

Marinas sustentáveis

Mercado 10/05/2013
Compartilhar

Em 1985, França criou a Blue Flag (Bandeira Azul) para premiar municípios costeiros por respeitarem o tratamento de esgoto e o critério de qualidade de água do mar para banho. Não demorou para a ideia se espalhar e em, 1987, com a criação da Foundation for Environmental Education in Europe (FEEE), 244 praias e 208 marinas da Europa receberam  o selo. O programa ganhou alcance global e a ONG mudou seu nome para apenas Foundation for Environmental Education (FEE). Com o crescimento, os critérios para receber a Bandeira Azul foram reforçados e as praias e marinas agora precisam ter ações voltadas para Qualidade da Água, Educação e Informação Ambiental, Gerenciamento Ambiental, e Segurança. No Brasil, a Bandeira Azul chegou em 2006 e atualmente a única marina que tem o selo ecológico é a Marina Costabella, em Angra dos Reis.

Mas a Costabella não é a única trabalhando na defesa do meio ambiente por aqui. A Marinas Nacionais, no Guarujá, por exemplo, já se candidatou para receber também a Bandeira Azul e está atualmente na fase piloto do programa*, fazendo adequações, e até formou um Comitê de Gestão Ambiental, formado por representantes da administração, do poder público, de ONGs da região,  marinheiros, clientes e prestadores de serviços dentro da marina.

A marina possui um departamento de meio ambiente, que, sob o comando da tecnóloga ambiental Leila Pio dos Santos, está preparado para procedimentos preventivos, por meio de orientações, treinamentos e palestras para os colaboradores, marinheiros, prestadores de serviços e clientes, e corretivos, com recursos físicos para conter pequenos vazamentos em terra e pequenos vazamentos na água.

Algumas das atividades ambientais desenvolvidas pela Marinas Nacionais são:

GAPA e PRADO
A marina possui um Grupo de Ação e Prevenção Ambiental, formado por colaboradores voluntários treinados que são os primeiros a atuar em situações de emergência, como derramamento de hidrocarbonetos. Os procedimentos são seguidos conforme o Plano de Primeira Resposta a Derramamento de Óleo (PRADO), formulado com as instruções necessárias de acordo com o nível de gravidade.

Utilização de produtos biodegradáveis na conservação
Para a limpeza e conservação da área da marina, o setor responsável utiliza produtos biodegradáveis, que não alteram o PH da água e não comprometem a oxigenação da água, o que poderia trazer prejuízos à fauna aquática.

Procedimento obrigatório para prestadores de serviço
A marina exige que a destinação para rerrefino do óleo usado, das embalagens, dos filtros, das estopas e dos absorventes contaminados, realizada pelas empresas que prestam serviços de mecânica náutica sejam acompanhados do Certificado de Destinação de Resíduos Industriais (CADRI) obtido junto à Cetesb. A destinação dos resíduos para rerrefino permite o reaproveitamento do material e evita a exploração de novos recursos.

Coleta seletiva
A marina possui contêineres para a separação de resíduos separados para receber recicláveis, como papelão, vidro, plástico e metais e outro para orgânicos não recicláveis, como restos de alimentos. O material reciclável é coletado pela Prefeitura do Guarujá e encaminhado para uma cooperativa de catadores.

Apoio às expedições de observação de animais

Por meio de divulgação, a marina estimula a participação de barcos de clientes nas avistagens de cetáceos e aves realizadas na região do Arquipélago de Alcatrazes, organizadas pelo Iate Clube Barra do Una (ICBU) e Yacht Club Ilhabela (YCI) e com permissão da Estação Ecológica Tupinambás, que administra a área. As expedições tem caráter científico para a documentação e identificação por meio fotográfico das espécies de animais existentes na região. Cada barco precisa levar um monitor ambiental e todas as informações devem ser repassadas ao Instituto Oceanográfico da Universidade de São Paulo (IO/USP).


Tratamento de esgoto

O tratamento do esgoto sanitário da marina é feito por filtagem biológica, ou seja, o efluente passa por um leito com micororganismos que aceleram o processor de degradação da matéria orgânica.

Pequenos detalhes

Outra marina que adotou medidas de preservação da natureza foi Acqua Azul, em Bertioga: toda a água que a marina usa é da chuva. São 400.000 litros de água por mês, que são usados nos banheiros, lavagem dos barcos e motores e higienização das instalações. Para completar, a marina também usa aquecimento solar para aquecer toda água, o que além de ser uma ação sustentável é também uma boa forma de economia.

A Acqua Azul foi fundada em 1989, pelo casal Ted e Rosa, e fica bem em frente ao Canal de Bertioga. Além da garagem náutica, a marina também oferece restaurante, com especialidade em pescados e frutos do mar; uma butique; loja de equipamentos náuticos; e pousada com 17 confortáveis apartamentos.

*Atualização: Em setembro de 2013, a Marines Nacionais conquistou a Bandeira Azul.

Marília Passos para Bombarco
Fotos: Reprodução/Marinas Nacionais