Sua mensagem foi enviada com sucesso!
O papel de cada integrante da tripulação

Blog

O papel de cada integrante da tripulação

Mercado 10/11/2011
Compartilhar

Tripular. Conduzir, dirigir, pilotar. É tão evidente a importância do trabalho de equipe desenvolvido por tripulantes que o modelo tem sido muito usado no mundo corporativo. Velejadores amadores invariavelmente comentam que se apropriam das lições aprendidas no esporte a vela para melhorar o desempenho de suas carreiras.

Em uma regata o time precisa trabalhar unido. Cada indivíduo a bordo tem uma função e exerce papel fundamental para o bom andamento do barco. Desta forma, cada tripulante tem uma responsabilidade dentro da embarcação.

A regata é um esporte náutico competitivo. A cada prova o barco acumula pontos perdidos de acordo com a sua posição de chegada. O vencedor é aquele que tiver menos pontos perdidos ao final da série. Os três tipos mais comuns de regata são: a convencional, em que os barcos competem entre si; o match-race ou barco contra barco; e, o America’s Cup, a mais antiga do mundo e praticada por barcos de monotipo, em equipe. Portanto o fluxo de trabalho e os papéis assumidos são de extrema importância durante qualquer competição.

O timoneiro, por exemplo, é o responsável por guiar o barco e fazer a orientação em relação à direção e as manobras realizadas. “Este tripulante fica encarregado do timão, é o motorista. Em alguns tipos de barco, também é responsável pela vela grande (principal), usada durante toda a regata, contra ou a favor do vento. Em muitos casos, o timoneiro também é o comandante, apesar de não ser uma regra”, explica Henrique Dias, timoneiro do barco C’est La Vie, da classe Oceano.

Dias explica, ainda, que existem casos em que uma pessoa pode desenvolver duas ou mais funções dentro do barco. “Um bom exemplo é o caso das pessoas responsáveis pela regulagem do barco, em que elas podem ser também o navegador e o tático. Assim, os tripulantes têm a função de ajudar onde é necessário”, diz Dias.

O tático é aquele que diz ao time o que deve ser feito durante a regata, bem como aonde ir e quando realizar manobras. Também é de responsabilidade dele ficar atento às mudanças de vento, à direção em que o veleiro está seguindo, bem como em seus adversários. Já o navegador, recebe boletins meteorológicos e auxilia o comandante quanto às decisões de rota. O comandante é o posto responsável pela tripulação.

Alexis Vasiluk Knebel, responsável por subir e descer as velas por meio das adriças, cabos que levantam e abaixam as velas, explica que sua função é a regulagem destes cabos. “Antes de começar a regata, ele precisa estar bem regulado. Quando precisa trocar uma vela, é necessário um trabalho sincronizado, para que não atrapalhe o rendimento da embarcação”, afirma.

Segundo Isaak Radin, trimmer do barco C’est La Vie, a regulagem da grande vela fica por conta do trimmer. Este processo permite que haja melhor aproveitamento do vento em relação ao ângulo da velejada.

Além disso, há também o proeiro, que, segundo Dias, é quem cuida da preparação das velas no momento da troca. Já a secretaria, é quem libera ou prende os cabos, adriças e escotas em uma manobra. Esta pessoa permanece na entrada da cabine, onde ficam os Stopers, peças que funcionam como freios para os cabos.

 

Veja também:

Glossário dos velejadores

Laíla Kamegasawa e Vanessa Xavier para o Bombarco
Foto: Ronald Kraag / Bombarco