Sua mensagem foi enviada com sucesso!
Rio Boat Show 2013: Lanchas de até 35 pés e forte presença internacional marcam salão

Blog

Rio Boat Show 2013: Lanchas de até 35 pés e forte presença internacional marcam salão

Mercado 03/05/2013
Compartilhar

Entre os dias 25 de abril e 1º de maio, o Píer Mauá, na zona portuária do Rio de Janeiro, recebeu a 16ª edição do Rio Boat Show. A expectativa de público foi atingida, 43 mil pessoas em sete dias, e os negócios realizados chegaram a R$ 276 milhões, superando a edição anterior, quando foram gerados R$ 270 milhões. Como nas edições anteriores, muitos estaleiros nacionais aproveitaram o evento para apresentar suas mais recentes novidades, desde um novo design para suas lanchas até novos sistemas que melhoram a navegação e embarcações totalmente inéditas.

A Real Powerboats, por exemplo, levou a nova linha 2013, que passou por uma reestilização, para seu stand e também colocou na água para testes de mar a nova Real Top 355. Mas o grande destaque do estaleiro carioca pôde ser conferido mesmo na Marina da Glória, onde foram feitos test drives da Real Class 220 equipada com o novo Hidrolift System, sistema revolucionário que permite aumentar consideravelmente a largura do barco e manter um excelente desempenho, sem que seja preciso usar um motor mais potente.

As lanchas da Cimitarra também passaram por algumas mudanças no design: a Cimitarra 500 Fly ganhou um flybridge mais espaçoso e a Cimitarra 380 agora tem uma versão com targa. E a Bayliner apresentou duas lanchas adaptadas ao gosto brasileiro: a Bayliner 350 BR Special Edition e a Bayliner 310 BR Special Edition, com destaque para o espaço gourmet na popa.

Confiras as fotos dos lançamentos do Rio Boat Show 2013!

Até 35 pés

Entre os lançamentos, os destaques foram as lanchas com menos de 35 pés. A Fribafrot apresentou a nova Focker 265 Open, visando atender um público que buscas lanchas proa aberta com mais de 25 pés e o mercado do Nordeste, que tem uma notável preferência por modelos open. A lancha segue o mesmo design esportivo da cabinada Focker 265.

A novidade no stand da Triton foi a Triton 345. A lancha tem capacidade para 12 pessoas e acomoda até quatro para pernoite, com uma cama na proa e duas camas de solteiro a meia nau. As janelas são panorâmicas e o solário de proa tem encosto regulável.

Já a Ventura teve dois barcos para apresentar: a V210 Comfort, com uma espaçosa proa aberta e boas ideias de para aproveitar o espaço do deck, como o sofá da popa que pode ser aberto e se transformar num solário; e a V340 Premium, com espaço na para armazenar um bote inflável, que é um item de série. Outro destaque do estaleiro é o Seguro Ventura. A marca lançou uma ação de seguros para embarcações, visando estimular a praticar no mercado.

No stand da FS Yachts, que comemora 15 anos de existência em 2013, a novidade foi a FS180, antes chamada de FS175. O modelo tem a proa sextavada, característica das lanchas FS, que permite um melhor aproveitamento do espaço na dianteira do barco. O próximo lançamento do estaleiro, a FS270 de ser apresentada em outubro, possivelmente no São Paulo Boat Show.

A Portofino estreou uma nova linha esportiva com a Portofino Sport 35. Exposta ao lado da Portofino Fly 35, ficou claro que as semelhanças entre os modelos ficam apenas no comprimento. Open, a Portofino Sport 35 foi lançada para concorrer em maior igualdade com os modelos mais esportivos dos outros estaleiros e já teve um exemplar vendido para um cliente da Bahia.

E, entre os lançamentos nacionais de grande porte, o destaque foi a Schaefer 800, da Schaefr Yachts. Com design assinado por Marcio Schaefer, a lancha tem teto solar e convés em um nível, o que permite total integração entre as áreas. As quatro suítes e o salão seguem uma linha de sofisticação e luxo de superyachts; seu porte comporta garagem para jet ski, bote de até quatro metros e três motores de 1,2 mil HP.

Estreia brasileira

Outras grandes embarcações que se destacaram no Rio Boat Show 2013 foram as que fizeram sua primeira aparição em águas brasileiras, como o Sea Ray 540 Sundancer. A Sea Ray já tem uma fábrica brasileira, em Joinveille (SC), mas o modelo ainda não deve ser fabricado por aqui tão cedo.

A Beneteau trouxe para a Baía da Guanabara a MC5, apresentada pela primeira vez no salão de Düsseldorf. A lancha é a primeira da linha Monte Carlo, que marca o elo entre a linha Beneteau e Monte Carlo Yachts. O casco exposto foi número dois e já tem dono brasileiro, que foi conquistado no coquetel de inauguração do yacht. O estaleiro francês também lançou no Brasil o veleiro Oceanis 55, que se destaca pelo luxo e pela facilidade de navegação, podendo ser conduzido por uma só pessoa com facilidade.

A também francesa Jeanneau apresentou três modelos inéditos na América do Sul: a Prestige 450, a Prestige 550 e Prestige 620, com destaque para a primeira que é o mais recente lançamento do estaleiro. Com 45 pés de comprimento, a lancha segue o padrão dos modelos maiores e tem seus espaços muito bem explorados, dando a impressão de ser muito maior A Prestige 450 Fly tem duas suítes, com acessos independentes, e o sofá do salão pode ser transformado numa terceira cama de casal.

O modelo também se destaca por ser o único da linha Prestige que tem duas opções de motorização (500 ou 600 hp) e ter um novo sistema touch de gestão das baterias do barco. Completa, a Prestige 450 Fly sai por R$ 2,65 milhões.

A britânica Princess também teve uma estreia brasileira. A única Princess 78 do Brasil, entregue na Páscoa para o dono, ficou exposta no píer para quem quisesse conferir de perto a girante de R$ 20 milhões.

Confira as fotos dos destaques do Rio Boat Show 2013!

Interesse internacional

A presença de estaleiros internacionais não é novidade, especialmente agora que muitos deles estão investindo em fábricas brasileiras, como Bayliner, Sea Ray, Beneteau, Sessa e Azimut, mas o interesse dos estrangeiros pelo mercado náutico brasileiro foi ainda mais notável nesta edição do Rio Boat Show.

O “Pavilhão dos EUA” reuniu 16 empresas americanos interessadas em trabalhar com os estaleiros brasileiros, oferecendo desde fibra de vidro até ceritificados para que as embarcações produzidas aqui sejam aceitas nos mercados americano e europeu.

E Davide Breviglieri, CEO da Azimut do Brasil, que expos o maior barco do evento, a Azimut Grande 100, falou dos planos do grupo Benetti-Azimut para investir pesadamente no Brasil nos próximos anos, não apenas com a construção de sua própria fábrica, mas também trabalhando em parceria com entidades como a ACATMAR e a ACOBAR para desenvolver o mercado nacional com o know-how italiano.

Não podemos negar que a náutica no Brasil ainda está amadurecendo, mas o claro interesse de países já consolidados no setor deixa que claro que nosso potencial é grande.

Marília Passos para Bombarco
Fotos: Bruno Cocozza/Bombarco