Sua mensagem foi enviada com sucesso!
Volvo Ocean Race aporta no Brasil em abril

Blog

Volvo Ocean Race aporta no Brasil em abril

Mercado 28/03/2012
Compartilhar

A 11ª edição da Volvo Ocean Race aporta no Brasil prometendo movimentar a cidade de Itajaí, em Santa Catarina, entre os dias 04 e 22 de abril.

Essa será a sexta vez que a maior regata de volta ao mundo realiza uma stopover no Brasil, mas será a primeira vez que o evento chega à região sul do país. De acordo com a organização do evento, a escolha de Itajaí para sediar a única parada da VOR na América do Sul foi motivada pela localização privilegiada do município, que está inserido no centro de um grande polo populacional, além de contar com ótimas condições de infraestrutura, portuárias, e de vento e também por estar estrategicamente posicionada entre importantes aeroportos da região, como o de Navegantes, o de Joinville e o de Florianópolis.

Outro item que deu “um empurrãozinho” para que o evento fosse levado para Santa Catarina foram os preparativos para a Copa do Mundo e para as Olimpíadas que estão a “todo vapor” no Rio de Janeiro. A cidade carioca sediou a maioria das paradas da competição que aconteceram no Brasil e já possui experiência no assunto, porém teve que “deixar passar” a oportunidade para se preparar para os outros dois eventos esportivos. Além do Rio, São Sebastião, no litoral norte de São Paulo, também foi cogitada para receber a competição.

O anúncio que oficializou Itajaí como uma das sedes oficiais do evento aconteceu em março de 2010. De lá para cá a cidade recebeu investimentos em diversas áreas, como infraestrutura, educação e turismo para não decepcionar como “anfitriã” da parada após a conclusão da quinta perna da competição.

Para começar, a cidade iniciou a construção da Vila da Regata, localizada na margem do rio Itajaí-Açu, projetada para oferecer toda a infraestrutura necessária à realização desta grande festa do meio náutico. Segundo a organização do evento, as obras para a construção da “minicidade da vela” foram iniciadas na primeira quinzena de agosto de 2011 e concluídas em fevereiro deste ano. O valor total de investimento foi de R$ 10 milhões para transformar o projeto em realidade. Além da Vila da Regata, uma marina com vagas para aproximadamente 900 barcos foi providenciada na cidade e deverá estar parcialmente estruturada quando as primeiras equipes da competição chegarem ao Brasil.

Mas não foi só a parte de infraestrutura que recebeu investimentos. Nas áreas de educação e turismo, o governo municipal realizou até fevereiro deste ano o “Curso de Atendimento e Acolhimento ao turista da regata Volvo Ocean Race”, com o objetivo de capacitar o staff turístico e os prestadores de serviços da cidade para atuar diretamente com o público. Durante as aulas os participantes receberam noções básicas da língua inglesa e do espanhol, além de técnicas de atendimento ao público e outros temas ligados ao relacionamento interpessoal. Puderam participar desta ação aqueles que atuariam diretamente na parte receptiva do evento, ou seja, o trade turístico – formado por motoristas de táxis, condutores de vans e guias turísticos - cidadãos prestadores de serviços que quisessem atender a demanda decorrente do evento e servidores municipais ligados direta ou indiretamente a realização do evento.

Itajaí Stopover já em operação

Os primeiros barcos da flotilha deverão chegar à Itajaí somente na primeira semana de abril, mas os equipamentos necessários para a montagem dos estandes dos patrocinadores e dos organizadores do evento, assim como as equipes de apoio em terra, os materiais e equipamentos para as oficinas e pertences das tripulações das equipes já estão na cidade desde março.

E enquanto as equipes não chegam, as atividades relacionadas a “Itajaí Stopover Sustentável” já começaram a “agitar” a cidade. A organização do evento espera receber um público de 150 mil pessoas e já preparou uma extensa programação que inclui atividades relacionadas a parte náutica, cultural e de preservação ao meio ambiente. (link para matéria Esporte e Lazer ou para a agenda de eventos)

E, se levarmos em consideração os números das últimas paradas que a VOR fez no Rio de Janeiro nos anos de 2006 e 2009 todo o esforço de Itajaí para ser uma “boa anfitriã” valerá a pena. Em 2006, segundo estatísticas apresentadas pela Brasil 1, empresa representante da Volvo Ocean Race no Brasil, foi registrado um aumento de ocupação da rede hoteleira carioca de 6,66% e 3,24% nos meses de março e abril, respectivamente, em comparação com o mesmo período de 2005.

Três anos depois, em 2009, a taxa de ocupação dos hotéis do Rio aumentou em 5,42% e 10,4% nos meses de março e abril se comparado com o mesmo período de 2008. As informações foram obtidas com base em números da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (ABIH), seção do Rio de Janeiro, que creditou à realização da regata o aumento na demanda do setor.

Ainda em 2009, durante a passagem da VOR pela Cidade Maravilhosa foram registradas 182 repórteres de rádio de 16 países diferentes, além de cinco emissoras de TV que transmitiram o evento via satélite para todo o mundo e 48 representantes de canais de televisão de 23 países. Também participaram da cobertura do evento 15 grandes jornais, sendo sete mídias internacionais, 22 revistas, sete agências de notícias e repórteres de diversos websites.

Sobre a 11ª edição da VOR

A aventura começou em 29 de outubro de 2011 em Alicante, na Espanha. De lá já passou pela Cidade do Cabo na África do Sul, Abu Dhabi nos Emirados Árabes Unidos, Sanya na China, Auckland na Nova Zelândia e chega à cidade de Itajaí, em Santa Catarina, depois de percorrer o trecho mais longo da competição, 6.705 milhas náuticas, ou 12.424 quilômetros.

Após descansarem por aproximadamente 15 dias, as equipes partem com destino a Miami no dia 22 de abril. Depois de aportarem na cidade dos Estados Unidos, as equipes devem passar por Lisboa em Portugal, Lorient na França e finalizam a aventura em Galway, na Irlanda, em julho deste ano.

Serão ao todo nove meses de competição onde as seis equipes, cada uma com 11 tripulantes, deverão velejar mais de 39.000 milhas náuticas.

A VOR é realizada a cada três anos e pode ser definida como uma competição desportiva de aventura ao extremo, uma união de glamour em terra com drama e resistência no mar. Durante os meses da competição os velejadores enfrentam variações de temperatura de -5 a +40 graus Celsius e só podem levar uma muda de roupa a bordo. Não há prêmios na Volvo Ocean Race, a não ser a glória de poder dizer que venceu a maior regata de volta mundo realizada no planeta.

Para conhecer os times que participam da 11ª edição da corrida, acesse - http://www.volvooceanraceitajai.com/equipe/team-sanya-china/

Para saber mais sobre a regata, acesse o site oficial do evento -
http://www.volvooceanrace.com/en/home.html

 

Juliana Barbosa para Bombarco
Foto: Ian Roman / Volvo Ocean Race