Sua mensagem foi enviada com sucesso!
Real Class 220 – Design simples, navegação eficiente

Blog

Real Class 220 – Design simples, navegação eficiente

Meu Barco 27/06/2013
Compartilhar

O carioca Christian Leite Rodrigues conheceu a Real Class 220 no São Paulo Boat Show 2012, quando a lancha foi lançada, e ficou impressionado com o tamanho da embarcação. Dono de uma Phoenix de 23 pés na época, da qual ainda gosta muito, Christian comenta que, apesar da Phoenix 230 ser teoricamente maior que a Real Class 220, esta parece ser tão grande quanto a primeira e até tem um maior espaço interno, que acomoda 10 pessoas confortavelmente.

O grande espaço interno da Real Class 220 é resultado do Hidrolift System, sistema desenvolvido pela Real Powerboats, que permite aumentar significativamente a boca (largura) da embarcação, e usar motores de baixa potência, sem prejudicar o desempenho. Christian equipou sua Real Class 220 com um motor Evinrude de 150 hp, o mesmo usado na Phoenix 230, e notou que a nova lancha planeia muito mais rápido.

Outro ponto da lancha que agrada o proprietário é o design descomplicado e eficiente que o estaleiro carioca emprega em toda a sua linha. Christian destaca que a Real Class 220 é simples, mas muito boa para o uso e afirma que a lancha não tem itens sem utilidade, que sejam apenas enfeites no barco.

De família

Morador do Rio de Janeiro, Christian navega sua Real Class 220 exclusivamente na região de Angra dos Reis - o modelo proa aberta é ideal para clima da região. E costuma levar toda a família a bordo, especialmente seus três filhos Matheus, Theo e Rafael, que ganharam uma homenagem do pai coruja, o barco foi  batizado com as iniciais da criançada: Martherra.

Ficha técnica - Real Class 220

Comprimento: 6,57 m
Boca: 2,54 m
Peso: 750 kg
Tanque de combustível: 150 l
Tanque de água doce: 50 l
Capacidade: 10 pessoas
Motorização mínima: 115 hp
Motorização máxima: 250 hp
Preço: a partir de R$ 88.177,00



Leia mais sobre a lancha Real Class 220:



Marília Passos para Bombarco
Fotos: Real Powerboats e Christian Leite Rodrigues/Arquivo pessoal