Sua mensagem foi enviada com sucesso!

Notícias

Baía de Guanabara será monitorada em projeto por mais de dois anos

13/05/2010
Compartilhar

A Baía de Guanabara, segunda maior baía do litoral brasileiro, situada no estado do Rio de Janeiro, será monitorada, a partir do dia 25 de maio, em projeto criado pela empresa BG Brasil, companhia que atua no segmento de exploração e produção de petróleo e distribuição de gás natural no país, e o Projeto Grael.

O Projeto Baía de Guanabara terá, a cada semana, os chamados derivadores oceânicos – espécie de bóias monitoradas por GPS – lançados na água para estudar as correntes e seus parâmetros físico-químicos. Além do GPS, as bóias também são equipadas com transmissor receptor via satélite, sensor de temperatura da água e bateria. Com investimento de R$ 800 mil, o Projeto Baía de Guanabara terá a duração de dois anos e meio.

“A união de parceiros capacitados certamente renderá bons frutos: um banco de dados oceanográficos atualizado e a formação de jovens para o mercado de trabalho. Estamos felizes em dar a largada nesta iniciativa, que une dois princípios de negócio da BG Brasil: meio ambiente e desenvolvimento sustentável”, explica a gerente de HSSE da BG Brasil, Sônia Lima.

Durante o período de 12 horas, o que corresponde a um ciclo de maré, três alunos habilitados do Projeto Grael ficarão a bordo de uma lancha, batizada de Coral, que será operada por eles. Orientados por um supervisor, eles também serão responsáveis pelo manuseio dos derivadores – lançamento e recolhimento. Os dados oceanográficos gerados poderão ser acompanhados em tempo real pela internet e serem utilizados para os mais diversos fins científicos.

“A atuação em meio ambiente é uma vocação do Projeto Grael. Nossa participação no Projeto Baía de Guanabara tem como objetivo aprofundar ainda mais a integração e o compromisso dos nossos alunos com a Baía de Guanabara e com os esforços de melhor conhecê-la para, assim, contribuir para a sua recuperação. Certamente, será uma oportunidade única para os alunos aprenderem e interagirem com profissionais e pesquisadores dedicados à Baía de Guanabara. Quem sabe, não terão no Projeto a motivação e a inspiração para que se dediquem futuramente a carreiras ambientais”, destaca Axel Grael, presidente do Projeto Grael.

O Projeto Baía de Guanabara terá um desdobramento social, já que o Projeto Grael foca suas atividades na preparação de jovens de comunidades de Niterói, Itaboraí e São Gonçalo para o trabalho na área náutica, carente de profissionais especializados. Neste momento, novas parcerias com foco em sustentabilidade estão sendo estudadas para que sejam incorporadas ao projeto.

Além da BG Brasil e o Projeto Grael, o Projeto Baía de Guanabara conta ainda com mais dois parceiros: a empresa Prooceano, especializada em oceanografia e consultoria ambiental, e os laboratórios LAMMA/LAMCE-UFRJ. A Prooceano é a responsável pelo processamento e tratamento das informações enviadas via satélite, assim como a atualização do banco de dados on-line. Já a UFRJ foi contemplada com três bolsas de estudo – duas para iniciação científica e uma para mestrado. Assim, os alunos bolsistas construirão um modelo numérico de previsão de correntes que irá, com o auxílio dos dados coletados pelos derivadores, como ocorre com as previsões meteorológicas, antecipar as condições da circulação das correntes da Baía de Guanabara.

As informações sobre as correntes auxiliarão ainda os trabalhos de coleta de lixo flutuante na baía, já que os resíduos tendem a seguir as suas trajetórias, além do combate às emergências, como um possível vazamento de óleo, e à poluição.

SERVIÇO INAUGURAÇÃO PROJETO BAÍA DE GUANABARA
Data: 25 de maio (terça-feira)
Horário: a partir das 9h
Local: Projeto Grael
Endereço: Avenida Carlos Ermelindo Marins, 494 – Jurujuba / Niterói
Tel: (21) 2711-9875

Redação Bombarco
Fonte: Projeto Grael