Sua mensagem foi enviada com sucesso!
Jogos do Rio 2016: Lars Grael aponta Búzios como solução para fugir da poluição da Baía da Guanabara

Notícias

Jogos do Rio 2016: Lars Grael aponta Búzios como solução para fugir da poluição da Baía da Guanabara

22/05/2014
Compartilhar

"Com a experiência olímpica e os treinos frequentes no local, temos alertado desde que o Rio de Janeiro se candidatou a sede dos Jogos Olímpicos de 2016 sobre a poluição e o compromisso que foi fechado de despoluir em 100% a Baía de Guanabara," disse o medalhista olímpico Lars Grael sobre a matéria publicada no jornal norte-americano The New York Times de 18 de maio de 2014. O texto traz  severas críticas à raia olímpica no depoimento do velejador austríaco Nico Delle Karth e polêmico título ‘Nota aos velejadores olímpicos no Rio: não encostem na água’.

"Sabíamos que a total despoluição da Baía não aconteceria. Com o passar do tempo, falaram em 80%. Agora, já se fala em 60%. Claro que podemos observar que há obras em curso e elas podem até proporcionar uma melhora e modificar o atual quadro, mas é algo muito pequeno", afirma Lars.

Segundo o medalhista olímpico, apenas o recolhimento do lixo das águas da Baía de Guanabara não é uma solução para o problema. "A ação é paliativa. Muito pouco diante da real situação. A Baía está extremamente poluída e vínhamos alertando sobre isso há tempos. Porém, só estão empurrando o problema para frente", conta.

Lars quer deixar claro que não está apenas criticando. "Sugerimos algumas medidas. A nossa posição é de antecipar um desgaste, que inclusive já está acontecendo. Temos de unir todos os envolvidos para amenizar a poluição. Qualquer avanço é válido, porque ficará também como um legado das Olimpíadas no país. Temos que encarar o problema de frente," explica.

Momento de decisão

Alguns atletas experientes na modalidade, como Lars, apresentam a utilização de Búzios como alternativa para as disputas da vela nos Jogos. "O local tem ótimas condições de mar e vento para a prática da vela. A maior dificuldade talvez seria o fato de que Búzios não tem marina, porém, a Baía de Guanabara também não. Ou seja, em qualquer um dos lugares teriam que ser feitas obras para isso", sugere.

Mas existe um complicador: o fato de que o momento de se tomar a decisão e mudar o local já teria passado. "A maioria das equipes que vem ao Rio já definiu suas bases, já está realizando estudos técnicos sobre a Baía de Guanabara. Mudar tudo agora ficaria bem complicado, seria radical, mas negar o problema é ainda mais radical e a pior solução", salienta.

Crítica estrangeira

Sobre o depoimento de Nico Delle Karth ao The New York Times e de outros atletas em outras matérias na imprensa internacional, Lars afirma que vê certo exagero. "Concordo que as águas da Baía de Guanabara estão poluídas, com forte odor e repletas de objetos. Mas é exagero dizer que não se pode encostar na água. Até hoje não tivemos nenhum registro de algum velejador que tenha sido contaminado," afirma.

"Estamos querendo contribuir, com base em nossa experiência e com conhecimento de causa. Temos que fechar um pacto com compromisso de metas para melhorar a Baía de Guanabara, manter o foco e oferecer algum legado para o país", conclui Lars.

 

Sobre a Atletas pelo Brasil

A Atletas é uma organização sem fins lucrativos que reúne atletas e ex-atletas de diferentes gerações e modalidades pela melhoria do esporte. Criada em 2006, sempre teve conquistas exemplares e reconhecidas nacionalmente em educação e em oportunidades para a juventude. Porém, a entidade sentiu a necessidade de entrar em um novo momento, com foco no esporte como ferramenta de transformação social e com a missão de melhorá-lo para melhorar o País.


Curta a página do Bombarco no Facebook e fique por dentro de todas as novidades do mercado náutico!


Redação Bombarco
Fonte: ZDL
Foto: Divulgação