Sua mensagem foi enviada com sucesso!

Notícias

Touché, Ginga e Fram vencem primeira etapa da Copa Suzuki Jimny, em Ilhabela

28/03/2011
Compartilhar

A primeira etapa da Copa Suzuki Jimny – XI Circuito Ilhabela de Vela Oceânica – terminou neste domingo, dia 27, com condições parecidas nas duas semanas de disputas no litoral norte paulista.

Pouco vento e muito equilíbrio, exceto na classe HPE25, que registra confortável vantagem do barco Ginga, de Breno Chvaicer, sobre os adversários.

Nas demais classes, o Touché (Ernesto Breda) fisgou a ponta na ORC e levou o título da etapa inicial, assim como o Fram (Felipe Aidar) na RGS-A. A competição reuniu 40 barcos e 300 velejadores.

Neste domingo, a comissão de regata conseguiu realizar apenas uma prova no Canal de São Sebastião. Os ventos rondados, com média de seis nós, definiram a classificação da etapa inaugural do Circuito, considerado um dos mais importantes do País. No sábado, com condições melhores de tempo, a média de ventos foi de 10 nós e direção leste, foram disputadas duas regatas para todas as classes e três para a HPE. A próxima etapa, o Warm up, será realizada entre os dias 23 e 26 de junho.

Na classe ORC, a tripulação do Touché confirmou o favoritismo e teve a melhor média de pontos nas cinco regatas e venceu a etapa. O time de Ernesto Breda faturou duas das cinco regatas.

O atual bicampeão do Circuito Ilhabela na classe HPE25, Ginga, venceu quatro das sete regatas disputas até agora, em Ilhabela, e abriu diferença de 17 pontos sobre o segundo colocado. Os adversários que estão logo atrás prometem treinar mais para reduzir a vantagem do líder. A categoria passou por uma recente mudança na área vélica, deixando as regatas mais acirradas.

Equilíbrio na RGS

As regatas permanecem equilibradas na classe RGS-A, com o duelo rigorosamente igual até agora entre Fram (Felipe Aidar) e Jazz (Valéria Ravani). As duas tripulações chegaram no domingo empatadas, mas na última regata do dia, o Fram foi melhor e levou o título.

Na RGS-B, o Palmares (José Romariz Filho) tem três pontos de vantagem sobre o Anequim (Paulo de Moura). No duelo particular da RGS-C , o time do Toy (Júlio Lemos) levou vantagem sobre o Pirajá (Rubens Bueno). A liderança da classe RGS-Cruiser segue nas mãos do Cocoon (Luiz Caggiano) com vantagem de cinco pontos sobre a tripulação do Silence (Joaquim Prado).

Na Skipper 21, o Alegria continua na primeira posição. O time de Carlos Alberto Ramalho apostou nos treinos em Ilhabela para não fazer feio na temporada de vela oceânica e se deu bem até o momento.

Nas duas primeiras semanas de disputas da Copa Suzuki, o melhor desempenho na classe Delta 32 é do Realizado, de José Appud.

Premiação da etapa e Warm Up, em junho

As três tripulações mais bem classificadas em cada classe na primeira etapa da Copa Suzuki – Circuito Ilhabela de Vela Oceânica foram premiadas na tarde deste domingo na sede do Yacht Club de Ilhabela.

Receberam seus prêmios também as tripulações vencedoras das regatas realizadas na abertura da etapa, dia 19, comemorativas aos 40 anos da Capitania dos Portos. Já os brindes da Nautos foram sorteados durante a tradicional canoa de cerveja do sábado, dia 26.

Os veleiros voltam a se encontrar para a segunda etapa apenas em junho, entre os dias 23 e 26. A competição, batizada de Warm Up, deve contar com mais feras da vela nacional, como o medalhista olímpico Bruno Prada, que participa da classe HPE25 a bordo do Max Suzuki.

Classificação final da primeira etapa

ORC - 5 regatas (1 descarte)
1- Touché Super (Ernesto Breda) - 7 (6+1+2+3+1)
2- Orson/Mapfre (Carlos Eduardo Souza e Silva) - 8 pp (1+2+3+6+2)
3- Alegria (Carlos Alberto Ramalho) - 12 (2+3+8+2+5)
4- Realizado (José Luis Apud) - 15 (3+4+8+5+3)
5- Saurê (Diego Zaragoza) - 16 (8+8+1+1+6)

HPE – 7 regatas (1 descarte)
1- Ginga (Breno Chvaicer) - 9 (1+2+1+1+3+3+1)
2- Avantto (Dario Galvão) - 26 (6+9+2+6+2+5+5)
3- Artemis (Mark Essle) - 26 (3+1+7+7+10+6+3)
4- Repeteco II (Fernando Haaland) - 27 (9+3+4+2+8+4+6)
5- Atrevida (Fábio Bocciarelli) - 28 (2+4+17+8+1+9+4)

RGS-A – 5 regatas (1 descarte)
1- Fram (Felipe Aidar) - 6 (2+1+2+1+2)
2- Jazz (Valéria Ravani) - 6 (1+2+1+2+3)
3- Ianê-Transbrasa (Bayard Umbuzeiro Filho) - 12 (3+3`+3+3+5)

RGS-B – 5 regatas (1 descarte)
1- Palmares (José Romariz Filho) - 5 (1+2+1+1+2)
2- Anequim (Paulo de Moura) - 8 (2+4+2+3+1)
3- Nomad (Mauro Dottori) - 9 (3+1+4+2+3)

RGS-C - 5 regatas (1 descarte)
1- Toy (Julio Lemos) - 4 (1+1+1+1+3)
2- Pirajá (Rubens Bueno) - 7 (2+3+2+2+1)

RGS-Cruiser – 5 regatas (1 descarte)
1- Cocoon (Luiz Marcelo Caggiano) - 5 (1+1+2+1+2)
2- Silence (Joaquim Prado) - 10 (4+2+6+3+1))
3- Ydypy (Marco Aleixo) - 11 (3+3+3+2+6)

Delta 32 – 5 regatas (1 descarte)
1- Realizado (José Luis Apud) - 5 (2+1+8+1+1)
2- Palmares (José Romariz Filho) - 7 (1+3+1+3+2)
3- Asbar II (Sérgio Klepacz) - 9,5 (3+2,5++2+2+5)

Skipper 21 – 5 regatas (1 descarte)
1- Alegria (Carlos Alberto Ramalho) - 5 (1+1+4+2+1)
2- Saruê (Diego Zaragoza) - 8 (4+4+1+1+2)
3- Sextante (Thomas Shaw) - 10 (2+2+4+3+3)

Redação: Bombarco
Fonte: www.zdl.com.br
Foto: Bombarco