Sua mensagem foi enviada com sucesso!

Notícias

Ventos fortes marcam encerramento da Copa Mitsubishi Motors

07/12/2009
Compartilhar

Os ventos fortes deram o tom no encerramento da quarta e última etapa da Copa Mitsubishi Motors de 2009 - IX Circuito Ilhabela de Vela de Oceano, no Yacht Club de Ilhabela (YCI), litoral norte de São Paulo. Os 47 barcos que disputaram a Regata Volta a Ilha Sir Peter Blake comemoraram os ventos de 10 a 25 nós que marcaram o encerramento da temporada. O Happening de Premiação no YCI, no domingo (6), reuniu todos os campeões que receberam seus troféus após show de música de Tati Ramos.

Para os barcos que disputaram a Regata Volta a Ilha Sir Peter Blake, uma homenagem a um dos maiores velejadores de todos os tempos, e última prova das quatro etapas da Copa Mitsubishi Motors - IX Circuito Ilhabela de Vela de Oceano, com largada na Ponta das Canas, os ventos só zeraram, por pouco tempo, uma única vez, já na Ponta da Sela, próximo à linha de chegada. O campeão da regata, na ORC Internacional, foi o veleiro Jazz, de Valéria Ravani. Já o Orson, do comandante Carlos Eduardo Souza e Silva, perdeu a posição para o Jazz já na chegada, na entrada do Canal. “Essa entrada do canal é sempre difícil” justificou o comandante. “(O Circuito Ilhabela) é um dos mais importantes do Brasil, por reunir a maior quantidade de barcos num lugar onde venta bastante, uma das melhores raias do País para se velejar”, acrescentou o tripulante do Orson, Edmar Alves.


Ventos e mar agitado marcaram o final de semana em Ilhabela
O comandante Julio Cecheto, do barco Montecristo, deixou a regata por causa de uma avaria. “Parei na metade, quando estava na frente, perto da Ponta do Boi. Estava entrando água no barco - na verdade, entrou 5.000 litros de água. Fiquei aborrecido porque era a nossa oportunidade de ser o fita azul da Volta", disse.

Outras classes
Para as flotilhas das classes HPE25, ORC 700, BRA-RGS B e Bico de Proa B, a última regata de percurso foi de 10 milhas. O Ginga, do comandante Breno Chvaicer, cruzou na frente entre os barcos da classe HPE. O veleiro também foi o vencedor do Circuito, com 113 pontos perdidos após as quatro etapas. “Soubemos agregar uma equipe de jovens motivados, colaboradores que cursaram a escolinha de vela de Ilhabela. Entramos na regata de decisão com a diferença de apenas um ponto, mas tivemos a oportunidade de escolher uma tática que funcionou", avaliou Chvaicer.

Outro que entrou na última regata para brigar pelo campeonato foi Guilherme Cara, comandante do Jambock, da classe RGS A. O veleiro também foi o segundo na Regata Volta a Ilha Sir Peter Blake, atrás do Palmares. “Meus adversários estão velejando muito bem e eu não podia deixar escapar o título. Fiz praticamente um match race contra o Jylic II”, contou.



Vencedores do IX Circuito Ilhabela de Vela de Oceano

ORC Internacional
1 - Touché Super (Ernesto Breda) - 25 pontos
2 - Orson (Carlos Eduardo Souza e Silva) - 52 pontos
3 - Loyal/Red Nose (Marcelo Massa) - 66 pontos

ORC Club 600
1 - Asbar II (Sérgio Klepacz) - 30 pontos
2 - Fantasma (Reginaldo Zavagli Costa) - 32 pontos
3 - Realizado (José Luís Apud) - 35 pontos

ORC Club 700
1 - Saruê (Diego Zaragoza) - 25 pontos
2 - Oxigênio (Haroldo M. de Oliveira) - 42 pontos
3 - Max (Anderson Biason) - 43 pontos

HPE 25
1 - Ginga (Breno Chvaicer) - 113 pontos
2 - Sapeca/Verax (Mark Essler) - 118 pontos
3 - Repeteco (Roberto Martins) - 121 pontos

BRA-RGS A
1 - Jambock (Guilherme Cará) - 34 pontos
2 - Jylic II (Martin Bonato) - 43 pontos
3 - Palmares (José Romariz Filho) - 69 pontos

BRA-RGS B
1 - Rainha (Leonardo Pacheco) - 33,5 pontos
2 - Toy (Júlio Lemos) - 37,5 pontos
3 - Ariel (Luiz Henrique Pimenta) - 43 pontos

Bico de Proa A
1 - Coccon (Luiz Marcelo Caggiano) - 31 pontos
2 - Victoria M (German Wiedernbrug) - 53 pontos
3 - Índigo Tôo (Ederhard Allain) - 59 pontos

Bico de Proa B
1 - Carapau (Marco Antônio Aleixo) - 32 pontos
2 - Alegria (Carlos Alberto Gallo) - 32 pontos
3 - Flyer (Fábio Constantino) - 37 pontos


Redação Bombarco
Fotos: Marcio Ishihara