Sua mensagem foi enviada com sucesso!

Primeiro Barco

Como conservar o motor da sua lancha ou veleiro?

1º Barco 21/09/2009
Compartilhar

Nunca deixar gasolina no motor do barco por mais de 30 dias:

Todo tanque tem uma saída de respiro, por onde entra umidade no combustível. Nos motores a gasolina, o álcool presente no combustível reage com a água que se condensa no tanque e forma um líquido corrosivo, que afeta principalmente os bicos injetores.

Ligar o motor, pelo menos, a cada 15 dias:

Quando a lancha estiver fora de uso, o ideal é fazer o motor funcionar semanalmente. Se não for possível, duas vezes por mês são suficientes para evitar problemas. Quando o motor fica parado por muito tempo, os bicos injetores e os giglês (no caso dos carburados) podem entupir.

Fazer revisão preventiva da embarcação a cada 6 meses:

As peças normalmente trocadas em uma revisão são as velas, os filtros (separadores e de linha), as correias, o óleo da caixa de engrenagem e do carter do motor, o filtro de óleo, a graxa das articulações e o spray lubrificante.

Trocar o anodo de sacrifício:


Feita de zinco ou de alumínio, essa pequena peça é importantíssima para a conservação do motor, pois tem a função de absorver a corrosão. O anodo deve ser substituído quando o desgaste estiver em torno de 60%.

Cuidados antes de guardar o motor


Adoçar:

Colocar o motor para funcionar em água doce é importantíssimo para a conservação. Deve ser feito sempre que a lancha sai da água salgada. O primeiro procedimento é colocar o orelhão (par de ventosas de borracha ligadas a uma mangueira) na entrada de água da rabeta do motor e abrir a torneira. Se a água sair suja ou com resíduos de carvão, é sinal de que o motor tem algum problema.

O passo seguinte é dar a partida no motor e colocá-lo para funcionar em marcha lenta (nunca ultrapassando 1.5 mil rpm), mas sem acelerar. Acelerar a seco, como muitos usuários costumam fazer, afeta os rolamentos. Em seguida, é preciso deixar o motor funcionando por cerca de 10 minutos (tempo que leva para esquentar) ou até que solte água pela saída do termostato, o que também indica que ele já está quente.

Lavar o motor da embarcação:

Depois de adoçar o motor, é necessário lavá-lo com uma mangueira de baixa pressão. Antes, porém, é preciso deixá-lo esfriar por 5 minutos. Em seguida, abre-se o capô para que a água da mangueira alcance os cabeçotes e a descarga. É preciso ter cuidado para não molhar o motor de arranque.

Aplicar spray no motor e no trim:

Uma vez lavado, o motor precisa secar por cerca de 5 minutos, antes da aplicação do spray à base de óleo fino de origem orgânica (sem petróleo). É preciso esperar cerca de 20 minutos para que o produto seja absorvido. Em seguida, o motor deve ser içado para que o óleo seja aplicado também no trim.

Encerar a rabeta e o capô:

Antes de baixar o motor, é aconselhável passar cera na rabeta e em toda a superfície que entra em contato com a água. Para finalizar, é só lustrar com uma flanela ou estopa seca. Ao recolocar o capô, a operação deve ser feita também nesta parte.



No Guia de Empresas Bombarco você encontra empresas especializadas que podem ajudar na manutenção do motor da sua embarcação.


Redação: Bombarco
Fonte: Acobar
Foto: Bombarco