Sua mensagem foi enviada com sucesso!

Primeiro Barco

Como escolher o colete salva-vidas correto

1º Barco 16/05/2014
Compartilhar

Seja para navegar ou praticar um esporte aquático, o colete salva-vidas ou dispositivo de flutuação pessoal (DFP) é um equipamento obrigatório e indispensável. O próprio nome já diz, ele vai garantir a sua segurança sempre que necessário.

O sócio proprietário da Nob Multisports, marca nacional de produtos náuticos, Marcio Nobrega, reforça que o maior objetivo do uso do colete salva-vidas é a segurança, não importando se o usuário não tem afinidade com a água e muitas vezes não sabe nadar ou se é um atleta de esportes náuticos que já está acostumado com a água e seus perigos. “Inicialmente, temos que definir o objetivo do uso. É para simplesmente ficar dentro da embarcação em um passeio ou lazer ou é para a prática de esportes radicais como wakeboard, kitesurf, jet ski de competição ou canoagem?”, questiona Marcio.

Esta é a questão inicial e, depois de respondida, é preciso levar em conta a classe do colete. A marca em si será um dos últimos itens a serem analisados. Existem cinco classes de salva-vidas, de acordo com a atividade praticada:

Classe I: colete para mar aberto nacional ou internacional, fabricado com material rígido e resistente e fabricado segundo os princípios salvaguardados na Convenção Internacional para Salvaguarda da Vida Humana no Mar. Além disso, possui um colar, o que significa que não deixa que uma pessoa inconsciente fique com a face voltada para a água.

Classe II: colete para navegação costeira, mais leve que a classe I, porém igualmente resistente. É fabricado de acordo com as normas da classe anterior e deve ser utilizado em águas calmas, em que certamente ocorrerá um resgate rápido. Podem ser inflados pela própria pessoa, depois de colocado.

Classe III: é ainda mais leve que o colete da classe II. Indicado para navegação interior, atividades desportivas ou de lazer, como pescaria e canoagem, sendo mais confortável que os já citados.

Classe IV: Podem ser tanto coletes como boias de salvação. Deve ser utilizado por pessoas que possam cair acidentalmente na água, mas que o resgate seja rápido, como os trabalhadores de borda da embarcação.

Classe V: são dispositivos especiais para atividades específicas como rafting, windsurfe ou surf em ondas gigantes. Cada atividade tem um modelo apropriado e costumam ser mais versáteis, podendo parecer com regatas e camisetas.

Os coletes costumam ter a cor laranja, para serem identificados em longa distância e devem estar sempre ajustados ao corpo: confortável, mas não apertado. Por isso, é importante escolher um colete adequado às suas necessidades e que seja confortável às suas atividades na água.

Material

Os coletes mais modernos são fabricados em neoprene, um tipo de borracha sintética e isotérmica. Eles são muito mais confortáveis do que os produzidos em nylon, já que se expandem quando entram em contato com a água e oferece maior liberdade de movimento. No entanto, eles são muito mais quentes do que coletes de nylon, o que pode ser crucial na água fria, mas um fator de incômodo em águas quentes. Ambos são igualmente seguros e os produzidos em nylon possuem custos mais acessíveis.
O importante é estar sempre atento aos requisitos de segurança para praticar atividades náuticas e garantir a segurança, sempre respeitando as leis e normas da Marinha, como diz Marcio: “A compra consciente consiste em atender exatamente qual é sua necessidade, levar em conta quem vai usar o colete (criança ou adulto), qual seu grau de intimidade com a água e se o modelo atende o esporte ou atividade a ser praticada sempre levando em conta a questão de estar dentro da lei”.

Eliton Selinger da Barco Novo, loja especializada em acessórios náuticos, nos passou o ranking dos modelos mais vendidos e o valor que você deve resguardar para cada classe. Veja:

1ºlugar: Classe III
Preço: de R$26,90 a R$35,00

2ºlugar: Classe V
Preço: em média R$120,00

3ºlugar: Classe II
Preço: em média R$44,00

4ºlugar: Classe IV
Preço: de R$90,00 a R$110,00

5ºlugar: Classe I
Preço: em média R$290,00


Curta a página do Bombarco no Facebook e fique por dentro de todas as novidades do mercado náutico.


Jussara Coutinho para Bombarco
Fotos: Divulgação/Mercury Marine