Sua mensagem foi enviada com sucesso!

Primeiro Barco

Consórcio náutico – Uma opção para quem não tem pressa

1º Barco 23/03/2015
Compartilhar

O crescimento do mercado náutico brasileiro não poderia passar despercebido para os agentes do mercado financeiro do Brasil, entre eles as empresas que operam consórcios pelo Banco do Brasil, autoridade que fiscaliza a atividade no país. Cada vez mais empresas criam grupos de cotistas interessados em adquirir uma embarcação, seja ela lancha, veleiro ou moto aquática (jet ski), e é sempre bom ter mais uma opção na hora de escolher como investir no seu primeiro barco. Para entender como o consórcio náutico funciona, conversamos com Walter Teixeira, gerente da Unifisa, administradora que já atua no setor náutico e tem parceria com a BRP Sea-Doo, a Flexboat e Coral.

Para começar é preciso entender que o consórcio é um sistema onde um grupo de pessoas, organizado por uma administradora, se autofinanciam para a compra de um bem, por exemplo, um barco. Os consorciados ou cotistas pagam uma mensalidade que vai para uma espécie de poupança comum ao grupo. O valor poupado é usado para contemplar um dos integrantes, que recebe a carta crédito e pode comprar a embarcação. A Associação Brasileira de Administradores de Consórcio define o sistema como “a arte de poupar em grupo”.

Exemplificando: supondo, que você quer comprar uma embarcação através do consórcio. Você faz mensalmente contribuição ao grupo e é eventualmente completado, podendo comprar sua embarcação. O tempo para um participante ser sorteado depende do tamanho do grupo e do número de prazos de pagamentos. A Unifisa, por exemplo, tem planos com prazo de até 100 meses. Pode haver mais de um contemplado por mês, de acordo com o saldo do grupo em caixa.

Outra forma de ser contemplado no consórcio também é ao lance. Teixeira explica que “mensalmente são realizadas assembleias, onde o consorciado oferece um valor como lance. O maior (ou maiores) lance será o vencedor.” O cotista só paga o valor se seu lance for o vencedor e todo o valor pago como lance é abatido do saldo devedor.

Vantagens


Um dos benefícios do consórcio, em relação a outras formas de financiamento, é que ele não cobra juros, apenas a taxa de administração da empresa que administra o consórcio. Esse valor depende do tipo de bem e prazo escolhido, mas a Unifisa calcula que a média fique em torno de 0,20% ao mês.

Além disso, o cotista não se descapitaliza. “Após a contemplação o consorciado tem o valor do crédito a sua disposição, podendo negociar com o vendedor do barco para pagamento a vista,” completa Teixeira.

Desvantagem


É claro que nem tudo é perfeito. Para quem não quer esperar para usufruir das maravilhas de ter a sua própria embarcação, não é indicado contratar um consórcio, pois é preciso aguardar a contemplação.

Trocando de embarcação


Se você já tem um barco e quer trocar por um modelo mais novo, maior ou de outra marca, também pode usar o consórcio. Teixeira destaca a possibilidade usar o barco como opção lance, a avaliação da embarcação é feita por revenda especializada.

E também é possível fazer uma carta de crédito com o valor da diferença entre a sua embarcação e que você deseja comprar. Por exemplo: se você tem uma lancha que vale R$ 50 mil e quer comprar uma que vale R$ 80 mil, você pode fazer o plano de consórcio no valor de R$ 30 mil, apenas para complementar seus recursos.

> Conheça os detalhes de consórcio de lanchas, veleiros e jet skis


> Consulte o preço de lanchas na Tabela Bombarco


> E encontre diversos modelos de lanchas à venda nos Classificados do Bombarco!


Marília Passos para Bombarco
Foto: Bruno Cocozza/Bombarco