Sua mensagem foi enviada com sucesso!

Primeiro Barco

Os primeiros passos de um futuro dono de barco

01/09/2014
Compartilhar

O segmento náutico vem crescendo no Brasil em torno de 10% ao ano, ganha anualmente cinco mil novos barcos e, com isso, alguns novos marinheiros.

 

Por isso, o Bombarco preparou um passo a passo com todas as instruções de como se tornar um navegador habilitado e adquirir uma lancha em bom estado. Tudo para você começar sua aventura nos oceanos rapidamente.

 

O primeiro passo é conhecer um pouco mais sobre o segmento náutico e ter uma experiência com algum tipo de embarcação. Depois de tomada a decisão é hora de correr atrás de um barco para comprar.

 

Em se tratando do primeiro barco, é preferível optar por uma embarcação fácil de pilotar, de manutenção simples e casco resistente, até que o piloto novato pegue o jeito. Lanchas de grande porte são mais difíceis de manejar e de cuidar. Na dúvida, comece por uma de pequeno ou de médio porte.

 

“Embarcações fabricadas com fibra de vidro também são recomendadas pela facilidade na hora da manutenção”, garante Luiz Antônio Tirlone, proprietário da Marine Broker, localizada no Guarujá.

 

Na hora de escolher por um barco novo ou usado a escolha deve ser feita pelas condições financeiras do futuro proprietário. Os barcos usados são geralmente comercializados em feiras realizadas com frequência em todo o País. As embarcações, nesse caso, têm um preço acessível, porém é preciso tomar mais cuidado na hora da compra. De acordo com o proprietário da Marine Brocker, é preciso um check-up total:

 

“É preciso avaliar todo o barco, mas a parte elétrica e a motorização devem receber uma atenção especial”, ressalta.

 

Quanto custa em média uma embarcação?


Os preços variam muito e tudo depende da escolha do futuro dono do barco. Hoje existem no mercado barcos de pequeno e médio porte que variam de R$ 50 mil a R$ 250 mil.

 

Só que as despesas não param por aí. Além da compra do barco o futuro proprietário terá, ainda, que reservar fundos para carteira de habilitação, título de inscrição, termo de responsabilidade e seguro obrigatório da embarcação.

 

A carteira de habilitação náutica é uma exigência para o condutor de um barco. Assim como a habilitação de automóveis, a habilitação para embarcações se divide em categorias: veleiro, motonauta, arrais, mestre ou capitão amador. A mais comum é a de arrais amador, que permite conduzir barcos a vela ou motor em águas interiores (rios, represas, baías, etc.).

 

Embora a Marinha não exija exame prático, a grande maioria dos cursos oferece essa opção. Segundo Rogério Coelho, proprietário do RC Despachante Náutico, em Ribeirão Preto, a habilitação para embarcação como lanchas, jet ski e barcos na categoria Arrais Amador custa em média R$ 390,00:

 

“O aluno é submetido a um curso com aulas teóricas e práticas - pilotagem mínima de duas milhas e depois está apto para dirigir uma embarcação. A habilitação é válida por dez anos”, explica Coelho.

 

Seguro obrigatório DPEM


Toda embarcação deve ter o DPEM (Danos Pessoais Causados por Embarcações). Seguro obrigatório que tem por finalidade dar cobertura aos danos pessoais causados por embarcações ou as pessoas embarcadas, transportadas ou não transportadas, inclusive aos proprietários, tripulantes e condutores das embarcações, independentemente da embarcação estar ou não em operação.

 

Segundo Ricardo Moretti, sócio-proprietário da Lopes e Moretti Seguros, em Mogi das Cruzes, o DPEM é como o IPVA dos automóveis:

 

“O DPEM é obrigatório e o não pagamento dele caracteriza que a embarcação não está licenciada. Porém o proprietário do barco também pode contratar apólices de seguros para cobrir outros danos, assim como fazemos com os carros”, explica.

 

Vale lembrar que a contratação do Seguro Obrigatório DPEM é uma exigência para todas as embarcações, qualquer que seja a propulsão e o uso, tais como: esporte ou recreio, embarcações de passageiros, de carga, de pesca e qualquer outra atividade.


(Veja entrevista com Pedro Simões, da Chubb - Saiba como funciona o seguro náutico nesta entrevista exclusiva com Pedro Simões, da Chubb)

 

Acessórios náuticos


Após a compra de um barco é preciso adquirir alguns acessórios indispensáveis como: GPS e rádio VHS; âncora; defensas; cabos; material de salvatagem exigido pela Marinha; instalação de capota; bóias, coletes salva-vidas, sinalizadores, lanternas e caixa de primeiros socorros. Todos os itens são encontrados em lojas de acessórios náuticos.

 

Marinas

Na hora de escolher uma marina para deixar sua embarcação é bom fazer uma pesquisa e escolher aquela que mais atende suas necessidades e qual a mais perto de você. As marinas cobram em média R$ 30,00 por pé da embarcação para estacioná-la. Alguns serviços extra mensalidade também podem ser contratados pelo proprietário do barco, como por exemplo, um marinheiro fixo que em média tem o salário de R$ 1 mil mensais e o lavador de barcos R$ 300,00.

 

A maioria das marinas também oferece o combustível para a embarcação que custa em média R$ 2,00, por litro.



Para mais informações acesse: Marinheiro de primeira viagem



> Consulte o preço de lanchas na Tabela Bombarco


> Encontre diversos modelos de lanchas à venda nos Classificados do Bombarco!



Leia também:
Quanto custa manter um barco?



Bruna Sales para Bombarco
Foto: Bombarco