Sua mensagem foi enviada com sucesso!
7 dicas para o mercado náutico durante e depois da pandemia

Notícias

7 dicas para o mercado náutico durante e depois da pandemia

29/04/2020
Compartilhar

Se você entrou nesta matéria, com certeza deve ter se pegado pensando, nem que por um momento, em como será o mercado náutico quando esse momento de retração passar. A resposta exata e objetiva para essa pergunta ainda é incerta, mas temos uma certeza: nada será como antes. Aproveitar o momento para criar oportunidades e diferenciais, além de aguçar a criatividade é o que falaremos nessa matéria. Segundo o Instituto Ipsos, empresas que fizeram pesquisas durante a última crise foram capazes de prever com mais exatidão o que aconteceria e puderam se preparar para o momento seguinte.

 

As pessoas em geral passarão a se adaptar constantemente ao cenário de mudanças. Diante dessa perspectiva, trazemos alguns insights que podem ser aplicados no seu negócio e na sua vida, para que você possa manter o relacionamento com seu público (com certa distância), e respeitar esse momento de incertezas.

 

 

1 - Esteja presente e invista em relacionamento com o consumidor

 

Entrar no modo retenção de custos faz parte, mas essa é uma oportunidade única onde as empresas podem ganhar confiança, mantendo a presença e entregando valor relevante.  Seja útil à medida que as necessidades evoluem. As pessoas querem consumir, mas precisam saber que você está lá, ativo e pronto para quando precisarem.

 

#Naprática

 

- Converse com seu cliente, apresente a forma como a empresa está funcionando, as medidas de segurança que foram tomadas e evidencie os canais de contato;

 

- Lembre-se que o consumidor náutico é exigente, aproveite e traga sua experiência para ajustar as velas do seu negócio, quem sabe, enxergar novos caminhos;

 

- Se relacione com as empresas parceiras: lojas náuticas, marinheiros, brokers, marinas, estaleiros, fornecedores e prestadores de serviço. Em geral, cada um tem algo a agregar dentro de sua especialidade;

 

- Se for possível, invista em marketing de relacionamento e conteúdo.

 

 

2 - Seja uma fonte confiável com impacto positivo

 

Em um cenário novo, cheio de informação de fácil acesso e de expressivas mudanças, as pessoas buscam segurança e criam fidelidade por marcas éticas e por empresas que causam impacto positivo no ambiente em que atuam. Estes são fatores que pesam como nunca na hora de decidir entre uma marca ou outra.

 

#Naprática

 

- Filie-se a uma associação náutica, promova debates, crie grupos para discutir ideias que colaborem com sua área de atuação;


- Desenvolva e incentive ações cooperativas visando um bem maior como a união e fortalecimento do segmento náutico; 


- Dissemine somente informações verdadeiras.

 

 

3 - Demonstre empatia

 

Não importa o tamanho da sua marca, área de atuação ou produto, todos estão no mesmo barco. Uma simples mensagem desejando que todos estejam seguros, ou ainda, disponibilizando possíveis serviços e auxílios, demonstra o entendimento da situação global e conectam marca e cliente.

 

#Naprática

 

 - Faça pesquisas por e-mail, telefone ou formulário com seus parceiros e clientes e depois responda individualmente se possível agradecendo e buscando entender os pontos levantados;

 

- Esteja aberto para ouvir críticas, pois são elas que te fazem olhar com ainda mais atenção para sua empresa, produto ou serviço; 

 

 - Faça reuniões freqüentes com a equipe e escute atentamente, se colocando na posição deles para encontrar melhores soluções.

 

 

4 - Faça parte e ajude a construir novas rotinas

 

Este é um território inspirador, pois as marcas podem procurar ajudar as pessoas a fazerem bom uso do tempo em casa e impulsionar uma melhor aceitação de novos hábitos, ajudando-os a se sentirem bem com a maneira como o tempo é gasto. Crie conteúdos relevantes, traga seu posicionamento e conhecimento sobre determinado assunto, gere discussões saudáveis e também ouça o seu público.

 

#Naprática

 

- Antes de ser solicitado, ofereça algo que seja importante para sua rede de influência. Se não tiver claro o que pode oferecer, pergunte, seja ativo;


- Crie conteúdo prático, palestras, exercícios, etc. Um dono de restaurante em Angra dos Reis-RJ, por exemplo, pode dar uma receita de prato de preparo simples e falar de 3 dicas de turismo para lanchas em sua região.

 

 

5 - Vá para o mundo digital

 

O mercado em geral já aguarda uma mudança no modo de comercializar e se relacionar. Na China, as vendas online de carros aumentaram nas primeiras semanas da crise, apesar das vendas gerais caírem. Eventos ao vivo, como as lives, estão sendo transmitidos em todo o mundo e empresas passaram a se adequar ao sistema de home office.

 

Em pesquisa realizada no final de março com 359 empresas brasileiras, e divulgada pelo jornal Valor Econômico, a consultoria Betania Tanure Associados (BTA) aponta que a prática já foi implementada para 60% do quadro de funcionários das empresas; 43% dos participantes da pesquisa afirmaram utilizar o sistema há mais de um ano; e apenas 14% não utilizam o trabalho remoto e não pretendem aplicar o método da empresa.

 

Segundo o Google, durante o mês de Abril, em todo o mundo, o interesse pelo termo “videoconferência” está sendo quatro vezes superior à média mensal dos últimos 16 anos. E desde o início da quarentena no Brasil, por causa da pandemia do novo coronavírus (Covid-19), as operadoras de internet registraram um aumento de 30% no tráfego no País segundo a Sinditelebrasil (Sindicato Nacional das Empresas de Telefonia e de Serviço Móvel Celular e Pessoal). Portanto, se sua empresa ainda não está na internet, corra! E se já está, reveja estratégias, ofereça soluções que melhorem o que já existe, agilizem processos e reduzam custos.

 

#Naprática

 

- Faça ou renove o seu site;


- Atualize sua rede social preferida frequentemente. Não possuir uma, não é opção. O público náutico é ativo, engajado e para cativá-lo, seja relevante e apresente suas soluções de forma simples e direta;


- Utilize ferramentas online para organizar as suas finanças, seu time comercial e operacional.

 

 

6 - Escolha manter o foco positivo

 

O pensamento com foco na positividade é fundamental para vencer a crise com saúde. Dessa forma você conseguirá encontrar soluções criativas e porque não, até desistir de uma ideia. Quando você encara a situação e mantém o pensamento positivo, as decisões tendem a ser tomadas com mais clareza e com a certeza de que o caminho a seguir foi escolhido com base na realidade e felicidade. Isso fará você prosperar.

 

#Naprática

 

- Seja realista e mesmo nos momentos difíceis olhe para o lado positivo. A atividade náutica pode ser uma excelente opção para o consumidor que busca concretizar desejos, aproveitar mais a vida, viver momentos no mar, conhecer novos lugares, ter experiências únicas que uma embarcação pode proporcionar.

 

 

7 - Aprenda com a crise

 

A história prova que as marcas podem crescer em tempos difíceis. Alguns exemplos duradouros da Grande Recessão dos anos 2000, onde marcas como Netflix, Lego, Amazon e Domino's expandiram seus horizontes através de investimentos/inovação, atendimento ao cliente, modelos alternativos de vendas e transparência nas comunicações. Essas marcas buscaram consumidores do jeito certo: levando valor agregado e praticidade em um momento de incertezas e mudanças de comportamento.

 

Líderes que desejam estar ativamente presentes podem emergir desse período desafiador de mudanças de comportamento com marcas mais fortes e uma base de fãs mais comprometida e confiante - então, quando as coisas finalmente chegarem ao próximo novo normal, sua marca estará fortalecida.

 

Enquanto cada situação é única e há casos em que será bom retrair os negócios, há também importantes aprendizados que podem ser reunidos e aplicados utilizando soluções digitais, como a venda de produtos nas lojas online, por exemplo.

 

Segundo análise da Ipsos, desenvolvida por líderes globais do Instituto de Pesquisa (link), os consumidores podem ser mais abertos a novas ideias durante uma crise, já que seus hábitos foram interrompidos. Pois, “quando realizamos atividades familiares, habitamos num mundo de certeza, com tradições e rotinas definidas que nos ajudam a simplificar as tomadas de decisão. À medida que aprendemos aquilo que funciona, o nosso comportamento torna-se mais irracional/automático.” E ainda, hoje, é notável como “o contexto está fundamentalmente abalado. E o modo como navegamos durante este período de fluidez já não pode depender de comportamentos automáticos, já que estes refletem um domínio do passado que já não existe.” Ou seja, nada será como antes.

 

Compreender o que reverbera no seu consumidor e retribuir, sempre foi essencial e a partir de agora é e será ainda mais, sobretudo no mercado náutico.

 

 

Sobre o Bombarco

 

A primeira versão do site Bombarco foi ao ar em outubro de 2009 com o objetivo de ajudar consumidores e vendedores a fazerem melhores negócios utilizando a internet como o seu principal meio de comunicação e com a missão de colaborar com o crescimento do setor. Nesses 10 anos o site passou por 4 melhorias de programação, usabilidade e conteúdo, atualmente possui em média 70 mil acessos únicos por mês e está sendo desenvolvida a 5ª versão do site que estará pronta em agosto de 2020 com novas soluções, preparada para a retomada do mercado no segundo semestre.

 

Quanto a mídia impressa, anualmente, são distribuídos gratuitamente 35 mil exemplares do Guia do Capitão nos 4 estados de maior concentração náutica do país.

 

O Bombarco possui o maior canal social de apresentação de embarcações na internet do Brasil, no Youtube, e somando o público das redes sociais Instagram e Facebook, se confirma como a principal mídia de negócios online do segmento náutico brasileiro com mais de 124 mil pessoas conectadas.

 

 

Para pesquisar sobre embarcações acesse:
Site: www.bombarco.com.br


Quer conversar com a gente? Compartilhar sua opinião, uma ideia, perguntar algo?

 

Envie o seu recado para: atendimento@bombarco.com.br ou participe enviando mensagens diretas nas nossas redes sociais:Youtube, Instagram e Facebook.

 

Nos vemos online!

 

 

Fontes: Meio&Mensagem, Ipsos Behavior, Ipsos Innovation, Ipsos Conexões, Administradores, SEBRAE, Valor Econômico