Sua mensagem foi enviada com sucesso!

Notícias

Baía de Guanabara é o palco da primeira etapa do Desafio Solar Brasil

12/05/2010
Compartilhar

O Clube Naval Charitas, de Niterói, RJ, é a sede do Desafio Solar Brasil 2010, competição internacional de barcos movidos a energia solar de universidades de todo País. A competição realizada pelo Pólo Náutico da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), começou no último final de semana, dias 7, 8, 9, e continua nos próximos dias 15 e 16 de maio, nas águas da Baía de Guanabara.

Entre os participantes estão doze equipes compostas de alunos e professores de escolas técnicas, faculdades de engenharia naval e elétrica e escolas de vela, além de alunos do Projeto Grael, programa social idealizado pelos campeões olímpicos Torben Grael, Marcelo Ferreira e Lars Grael.

Esta é a segunda edição do evento no Brasil e pela primeira vez realizada na cidade de Niterói. Em agosto, a cidade de Cabo Frio, na Região dos Lagos, sediará a segunda etapa da prova.

O estímulo ao desenvolvimento de tecnologias para fontes limpas e renováveis de energia, bem como divulgar para a sociedade o potencial dessas tecnologias aplicadas em embarcações de serviço, recreio e transporte de passageiros, é o principal objetivo do Desafio Solar Brasil.

Em outubro 2009 o evento foi realizado na cidade de Paraty, sendo a primeira edição da América Latina. Até o ano passado este estilo de competição só havia sido realizado em rios, canais e lagos. O primeiro no mar foi a edição de Paraty. O ápice deste evento é o Frisian Solar Challenge, disputado no continente europeu, mais precisamente na Holanda.

O Pólo Náutico da UFRJ é responsável pela realização do evento. O objetivo é incentivar pesquisas e projetos que contribuam para o desenvolvimento da indústria marítima brasileira.

Confira, abaixo, a relação das equipes:
1. Peixe Galo, do Projeto Grael;
2. Água Viva, do Instituto Náutico de Paraty;
3. Vento sul, da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC);
4. Cajaíba, do Departamento de Engenharia Elétrica da UFRJ;
5. Peixe Sol, da Escola Técnica Henrique Lage (ETEHL)/ Clube Naval Charitas (CNC);
6. ETEHL-Náutica, da Escola Técnica Henrique Lage (ETEHL);
7. Búzios, do Tecnaval UFRJ;
8. Arpoador, do Polo Náutico UFRJ;
9. Albatroz, do Instituto Politécnico de Cabo Frio;
10. Solaris do IFF de Cabo Frio
11. Copacabana, do Polo Náutico UFRJ;
12. Ipanema, do Gremio Nautico da UFRJ.


Redação Bombarco
Fonte: Projeto Grael e Clube Naval Charitas